Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 26 de Junho de 2022

0 4
:
1 9
:
5 2

Últimas Noticias

Notícias / Política

3 Mai 2022 - 16:29

Barbudo pede compreensão de bolsonaristas: “Vaga é de WF”

Redação Agência da Notícia com Mídia News

Reprodução

Foto: (Crédito: Reprodução)

Foto:

O deputado federal Nelson Barbudo (PL) saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PL) que, na semana passada, deixou claro seu apoio à reeleição do senador Wellington Fagundes (PL). A declaração frustrou outros pré-candidatos bolsonaristas que tentavam, a todo custo, um apoio na disputa.

Segundo Barbudo, não há o que se discutir: a vaga naturalmente é de Fagundes e, se o grupo quiser garantir um cenário favorável ao presidente em caso de reeleição, deve segui-lo.

“A gente tem que saber o momento de entrar no jogo. Nessa eleição, a vaga é do Wellington Fagundes. Ele é nato. Não adianta”, afirmou, em entrevista ao MidiaNews.

“Meu senador chama-se Wellington Fagundes, que é do meu partido e apoiado pelo meu presidente”, defendeu.

O deputado disse, ainda, que o acordo pró-Fagundes já havia sido firmado em Brasília durante as tratativas para Bolsonaro se filiar no partido, o que ocorreu em novembro do ano passado.

“Na política, a pessoa tem que esperar o momento certo. Bolsonaro precisava de um partido. Eu estava em Brasília quando foi feito o acordo de que, em Mato Grosso, seria Wellington. Isso antes de o Bolsonaro assinar a ficha [de filiação]”, disse.

“Você pode ver que o Wellington sempre se manteve tranquilo, porque o Bolsonaro, quando dá a palavra, cumpre, e já tinha ficado acertado lá atrás que o candidato ao Senado em Mato Grosso seria Wellington”, explicou.

Bolsonaristas frustrados

Para parte dos bolsonaristas em Mato Grosso, a declaração do presidente caiu como um “balde de água fria”.

Isso porque nomes como do presidente da Aprosoja Brasil, Antônio Galvan (PTB), e do deputado federal Neri Geller (PP) – ambos de partidos que compõem a base aliada de Bolsonaro – se colocam como pré-candidatos ao Senado e disputavam a atenção do presidente, chegando a pedir a ele para permanecer isento na disputa.

Para Barbudo, Bolsonaro respeitou um acordo feito para “ter o PL na mão” e não dava para consultar o Brasil inteiro.

“É uma questão partidária. Tem coisas na política que a gente tem que aceitar para não prejudicar o projeto maior. Se fosse para atender aos bolsonaristas, teríamos que ter 10 candidatos”, disse.

O deputado afirmou que a “teimosia” em se criar outras pré-candidaturas e tentar ligá-las ao presidente pode acabar prejudicando o cenário político em caso de reeleição de Bolsonaro, projeto que é tratado como o objetivo principal do grupo.

Barbudo lembrou, como exemplo, a eleição suplementar ao Senado ocorrida em 2020 no Estado, quando vários candidatos se lançaram como bolsonaristas e o resultado acabou sendo a vitória de alguém que não era do grupo do presidente.

“Coloca o nosso presidente em dificuldade, deixa os eleitores sem saber em quem votar. Voto dividido, o que acontece? Pode dar chance para uma terceira via [se eleger], o que prejudica o presidente”, avaliou.

“Eu considero que o projeto principal é o presidente Jair Bolsonaro. Depois a gente pensa em Senado e deputados federais”, completou.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet