Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 27 de Setembro de 2021

0 9
:
5 0
:
3 3

Últimas Noticias

Enquete

Como você pretende investir o seu dinheiro nos próximos anos?

Notícias / Política

15 Abr 2014 - 08:05

Riva diz que Emanuel denunciará vereadores por extorsão

Deputado diz que "todos erraram" na Câmara de Cuiabá; vereador pode ser cassado na terça

Mídia News

 O deputado estadual José Riva (PSD) afirmou que o ex-presidente da Câmara de Cuiabá, João Emanuel (PSD), irá fazer uma denúncia de extorsão contra alguns colegas vereadores.

Segundo Riva, a denúncia é "muito grave" e, pelo que apurou a reportagem, podem ser apresentadas nesta terça-feira (15), quando está marcada a sessão que decidirá sobre a cassação do mandato do parlamentar por quebra de decoro.

“Eu acho que, se você disser ‘quem nunca errou nessa Câmara, que atire a primeira pedra’, ninguém vai atirar, porque todos erraram, o João e muitos outros. Eles erraram em vários aspectos, não cabe aqui aprofundar. O João vai formular uma denúncia muito grave de extorsão e um monte de coisas. Isso é grave também”, disse o deputado, na manhã desta segunda-feira (14), antes da solenidade de entrega de máquinas do Ministério do Desenvolvimento Agrário a municípios mato-grossenses, em solenidade na Praça das Bandeiras, na Avenida do CPA.
João Emanuel pode perder o mandato em função de um vídeo obtido pelo Grupo Especial de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), na Operação Aprendiz, em que ele aparece supostamente negociando uma licitação fraudulenta na Câmara, e insinuando que dividiria propina com os outros vereadores, a quem chamou de “artistas”.

Riva ainda considerou “estranho” o foco do Ministério Público do Estado (MPE) ao seu genro, mas evitou falar em perseguição.

Ele negou, também, qualquer possibilidade de interceder por João Emanuel, ou ajudá-lo a escapar de uma possível cassação.

“Eu não intervenho nisso, é uma questão da Câmara. Os vereadores é que têm que decidir, pois é um problema da Câmara, e do João. Minha participação se restringe a ser solidário ao João, dar apoio moral. Eu só estranho que o Ministério Público não tenha essa posição em relação a outros casos”, concluiu o deputado.

 
Sitevip Internet