Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 20 de Setembro de 2020

0 5
:
3 1
:
1 1

Últimas Noticias

Notícias / Geral

15 Abr 2014 - 14:35

Justiça condena vereador em MT por agir de forma truculenta quando era coronel

O vereador por Várzea Grande Pery Taborelli (PV) foi condenado pela Justiça a pagar multa de R$ 30 mil por danos morais coletivos

Rd News

 O vereador por Várzea Grande Pery Taborelli (PV) foi condenado pela Justiça a pagar multa de R$ 30 mil por danos morais coletivos, bem como a suspensão dos direitos políticos por três anos. O motivo foi em decorrência de uma ação truculenta por parte dele, quando ainda era coronel, em Rosário Oeste (a 120 km de Cuiabá). A decisão foi proferida pelo juiz de 1ª instância do município, Ednei Ferreira dos Santos.

A assessoria do vereador, por meio de nota, afirma que a sentença foi uma surpresa, uma vez que, à época, Taborelli estava no exercício legal de suas funções de coronel e chefe do Comando Regional II. O parlamentar ressalta ainda que vai recorrer da decisão, e tem plena convicção que será reformada pelo Tribunal de Justiça, tendo em vista que não houve violação dos direitos dos cidadãos de Rosário. A decisão cabe apelação com efeito suspensivo, ou seja, quando a sentença proferida em 1ª Instância não pode ser executada até o julgamento do recurso. Além disso, o vereador continua em pleno gozo do exercício político.

Entenda o caso

Á época, o coronel Taborelli foi acusado pelo secretário de Cultura de Rosário Oeste, Edivaldo Lídio Pereira, de ser truculento em ação realizada na festa de 150 anos de fundação do município. A ação acabou com a detenção do secretário e mais 40 pessoas, entre adultos e menores. O vereador disse que todas as suas ações realizadas na festa foram dentro da lei, para permitir um ambiente tranquilo à população.

O evento, segundo Taborelli, estava sendo comandado por Edivaldo, que fazia o papel de “promoter”. E, o festejo ocorreu em frente ao bar do secretário, que estava lucrando com a venda de bebidas alcoólicas para menores de idade. “Conduzimos o promoter do evento e mais 40 pessoas à delegacia. Após lavrado o termo circunstanciado, os mesmos foram liberados, já os menores foram levados para o Conselho Tutelar, onde foram liberados com a presença dos pais ou responsáveis”.

Além destes fatos, o vereador destaca que no evento foram apreendidos tabletes de droga, que estava sendo comercializados livremente por um grupo de Diamantino. Conforme Taborelli, o Comando havia recebido várias ligações denunciando brigas no local. “Nós começamos a receber ligações de pessoas reclamando de brigas e vandalismo. A coisa foi se avolumando cada vez mais, se não tivéssemos feito a operação, a festa ia acabar com a morte de alguém”.

 
Sitevip Internet