Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 24 de Janeiro de 2021

1 5
:
1 2
:
3 4

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Artigos e Opinão

23 Mai 2015 - 10:45

Para onde vamos? - IV

Agência da Noticia com Redação

 Num dos artigos desta série citei a completa exaustão do sistema de gestão do Estado brasileiro nos níveis federal, estadual e municipal. O leitor poderá até pensar que isso foi uma construção do acaso. Piorando, piorando e de repente piorou mesmo. Não. Foi estudado. Vamos por partes.

Aquela questão das coligações que matou os partidos e colocou-os pra administrar setores do governo, desviou completamente da sua função primária, a educação por exemplo. Na medida em que um partido aparelhou o Ministério da Educação de porteira fechada, a partir do governo Lula em 2003, a educação deixou de ser uma função de Estado. Passou a ser uma ferramenta de partido político pra ganhar espaços junto a prefeitos, governadores e setores de interesses, como empreiteiras, editoras, fornecedores de materiais, grupos privados de ensino. Daí vem dinheiro, prestígio, apoio e votos.

Gestão após gestão, a educação acabou se confundindo com negócios partidários e com barganhas comerciais. Morreu no seu papel fundamental para a nação. A perda de produtividade do trabalhador brasileiro coloca-o numa das piores posições mundiais. Perdemos a capacidade de competir nos mercados. Por que? Por analfabetismo funcional.

Mas o leitor pensa: está puxando contra a educação. E a saúde? É diferente? Não. Pior. Morreu um sistema de saúde que vinha sendo construído razoavelmente bem depois de 1988. Saúde virou negócio partidário e ferramenta comercial de grupos políticos. A Operação Lava Jato identificou roubalheira pesada na saúde. Falar do setor de infraestrutura dá até dó. "Dormia a nossa pátria-mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações", Chico Buarque de Hollanda já dizia na década de 1980. Não mudou. O país está produzindo, mas não tem como escoar e nem embarcar. Mas os sindicatos controlam os portos e aeroportos. E os partidos controlam os sindicatos.

De outro lado, as relações incestuosas entre o Poder Executivo e o Legislativo destruíram toda a lógica da política brasileira. Construiu um túnel de prostituição entre ambos, com ramificações indecentes com o poder Judiciário. A partir desse aparelhamento de negócios de todo o corpo do Estado brasileiro, o país navega hoje numa tempestade que já passou no resto do mundo.

Aqui ela permanece e permanecerá muito tempo porque produz um discurso muito conveniente para os protagonistas da política. O assunto acaba amanhã.

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso. E-mail: onofreribeiro@terra.com.br www.onofreribeiro.com.br
Onofre Ribeiro

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet