Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 24 de Janeiro de 2021

1 5
:
4 5
:
0 8

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Artigos e Opinão

20 Jul 2015 - 10:35

A patrolada fiscal é mais Grave do que as Pedaladas Fiscais

Agência da Noticia com Pedro Ferreira

 O Governo gastou o dinheiro que não tinha em dois tipos de manobra.
Nas pedaladas fiscais usou dinheiro dos bancos estatais.

Na patrolada fiscal usou dinheiro “roubado” (*) do povo nas suas contas de poupança e FGTS, bem como deixou de pagar o valor devido nos precatórios, ao confiscar a correção monetária.
O acumulado desde 2003 dá 100% de correção surrupiada.

Golpe simples e eficaz: fraudou a TR para “roubar” o dinheiro povo.
Para entender como funciona o golpe, primeiro tem de entender como era antes.
Antes do golpe

A TR foi criada pelo Governo Collor como sendo a inflação média prevista pelos bancos para o mês seguinte (e não mais a inflação passada), principal componente da taxa que iriam pagar nos CDB/RDB com prazo de 30 a 35 dias.
Assim entenderam por unanimidade os Ministros do STF no relatório e nos seus votos quando julgaram a ADI nº 493, em 1992, disponível no endereço:

http://redir.stf.jus.br/paginadorpub/paginador.jsp?docTP=AC&docID=266383.

A TR era resultado da seguinte conta: taxa bruta dos CDB/RDB menos os impostos e menos os juros reais = inflação esperada para o mês seguinte.

Como os bancos na média previram que a inflação daria mais do que aquela que se confirmava a cada mês seguinte, a TR dava mais que a inflação e o dinheiro do povo aumentava, em relação ao que seria se fosse pela inflação passada.

Depois do golpe

O golpe começou com impostos aumentados artificialmente, reduzindo a TR (e a correção monetária) para uma mixaria próxima de 10% do que deveria ser.

A fraude total dura desde 2008, com o advento de uma equação cujo único resultado possível é zero por cento para fraudar a TR, através da ilegal Resolução CMN/BACEN nº 3530/2008, disponível no endereço:

http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/res/2008/pdf/res_3530_v1_O.pdf

O Redutor “R” da equação está na Resolução nº 3.446/2007, disponível no endereço:

http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/res/2007/pdf/res_3446_v1_O.pdf

Se as pedaladas envolveram “apenas” algumas dezenas de bilhões tomados de empréstimo, a patrolada soma quase R$ 1 trilhão “roubado” do povo.

A dupla Lula-Dilma fez pior que Collor.

Collor tomou o dinheiro do povo, devolveu poucos anos depois e passou a pagar mais que a inflação pelo dinheiro poupado.

Já a dupla Lula-Dilma “roubou” metade da poupança do povo, nem pensa em devolver e não paga sequer a inflação para quem poupa.

Em tempo: (*) “roubo” foi o termo usado pelo Paulinho da Força Sindical, no editorial “Todos contra o roubo no FGTS”, publicado no Jornal da Força Sindical de junho/2013. Veja em

http://fsindical.org.br/palavra-do-presidente/atencao-roubaram-seu-fundo-de-garantia/




Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet