Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 28 de Setembro de 2021

1 1
:
3 6
:
2 9

Últimas Noticias

Enquete

Como você pretende investir o seu dinheiro nos próximos anos?

Notícias / Política

5 Mai 2014 - 15:51

Campos diz que espera crescer nas pesquisas depois da Copa

Ele diz estar tranquilo com desempenho atual nas pesquisas

 O ex-governador de Pernambuco e pré-candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, disse em entrevista à rádio Itatiaia, de Minas Gerais, que está tranquilo com relação ao seu desempenho nas pesquisas eleitorais. Campos foi a Belo Horizonte, reduto de seu adversário na eleição, o senador Aécio Neves (PSDB), para participar nesta segunda-feira (5) de debate com empresários e receber título de cidadão honorário da cidade. Na parte da tarde, ele cumpre agenda em Contagem (MG).

Campos aparece nas pesquisas eleitorais atrás da presidente Dilma Rousseff e de Aécio Neves. No entanto, o pré-candidato do PSB aposta que sua candidatura deve crescer após a Copa, quando, segundo ele, as pessoas começam a se envolver mais com as eleições. Campos aposta no fato de ainda não ser conhecido por parcela do eleitorado e que, por isso, tem espaço para conquistar.

"Estou completamente tranquilo, porque as pesquisas a esta altura em 2010 davam [José] Serra presidente. Sobretudo depois da Copa, quando a eleição entrar mais na pauta do cidadão e as pessoas conhecerem a maior reeleição que Pernambuco teve, com 80%. Não tenho a menor dúvida de que iremos para o segundo turno e vamos ganhar as eleições", afirmou.

Campos também avaliou que sua candidatura pode crescer na medida em que o eleitorado se cansar do que ele chamou de "polarização" entre PT e PSDB, que governam o país e disputam a presidência há 20 anos.

"Temos 25% da população que nos conhece e temos 14% de intenção de voto. Na medida em que a população vai cansando dessa polarização que já governa o Brasil há mais de 20 anos, em que um faz e outro desmancha [...] todos vão se sentir estimulados a ajudar o país a crescer, a melhorar a segurança, a distribuir renda.

Economia

Na entrevista, o pré-candidato voltou a criticar a condução da economia no país, principalmente no que diz respeito à inflação. Ele disse que o cenário econômico no Brasil é o "pior", com inflação e juros em alta e baixo crescimento.

"Toda dona de casa, todas pessoas que fazem compras para dentro de casa sabem que a economia do país vem piorando. A gente percebe isso porque vê que o dinheiro que se ganha não está dando o que dava antes. A gente está vivendo um cenário de política econômica que é o pior. Inflação subindo, juros reais mais altos do mundo, e o crescimento, que era para estar subindo, está lá embaixo", concluiu.

 
Sitevip Internet