Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 28 de Setembro de 2021

1 1
:
3 7
:
4 0

Últimas Noticias

Enquete

Como você pretende investir o seu dinheiro nos próximos anos?

Notícias / Política

6 Mai 2014 - 09:25

Maggi: “A Dilma veio para cima de mim como uma abelha"

Mesmo sem ser candidato, ele montará palanque para a presidente em MT

Mídia News

 O senador Blairo Maggi (PR) afirmou que sofreu uma forte pressão da presidente Dilma Rousseff (PT) para que ele dispute o Governo de Mato Grosso neste ano.

Ele contou que a presidente insistiu para que ele fosse candidato, de modo a oferecer um palanque forte para ela em Mato Grosso. Maggi recusou, mas hipotecou seu apoio à presidente.

“A presidente Dilma veio para cima de mim como uma abelha. Ela insistiu, disse que ela e o ex-presidente Lula precisam disso. Mas eu disse a ela que não posso e não vou ser candidato”, relatou o senador.
“Mas não é porque eu não serei candidato que não estarei no palanque, e não darei apoio a ela. Criaremos as condições mínimas necessárias para que o projeto da presidente Dilma tenha sucesso em Mato Grosso”, afirmou.

O apoio de Maggi é visto como estratégico pelo Palácio do Planalto em função de ele ser um dos líderes mais influentes do agronegócio. A inserção no setor é um dos objetivos de Dilma.

Candidatura do PR

Blairo Maggi disse que o senador Magno Malta (PR-ES) o procurou pedindo apoio para sua candidatura a presidente. Maggi disse que deu força para o projeto próprio da sigla, pois o PR não faria falta para Dilma. No entanto, ele destacou que estará no palanque dela.

“Eu dei força para a candidatura do senador Magno Malta. Não é sacanagem com a presidenta. Ela tem uma coligação tão grande, que os 2 ou 3 minutos do PR não fazem diferença. E ele tem um discurso contundente contra as drogas e a pedofilia, que geralmente não vão para o centro da discussão”, disse.

“Mas avisei a ele que ele não vai ter o nosso palanque em Mato Grosso porque tenho outros compromissos”, completou, referindo-se à promessa feita a Dilma de que pedirá votos para ela.

O senador avisou, também, que se o PR em Mato Grosso optar por se aliar com o oposicionista Pedro Taques (PDT), ele não se oporá, mas estará fora do palanque.

“Não veto que o PR o apoie. Mas o posicionamento do Taques em relação ao Governo Federal complicou. Isso não nos une, nos afasta. Tenho compromissos morais com a presidente Dilma Rousseff”, disse.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet