Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 24 de Janeiro de 2021

1 5
:
4 3
:
4 4

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Artigos e Opinão

9 Set 2015 - 15:50

Líder, que líder? II

Agência da Noticia com Onofre Ribeiro

 No artigo de ontem recordou-se o comportamento políticos dos líderes messiânicos surgidos a partir de 1950 com a eleição pelo voto direto do ex-ditador de 15 anos, Getúlio Vargas. Também dos seus substitutos até o momento presente. De modo geral, todos os presidentes da República entre 1950 e 2015, exceção do período de 21 anos (1964 e 1985) do regime militar, tivemos líderes messiânicos. São aqueles líderes quase milagreiros, com discursos emotivos e salvadores da pátria.

Em 2015, reeleita, a presidente Dilma Rousseff abriu as portas do país para uma imensa crise moral, que resultou numa crise política e as duas numa enorme crise econômica. Mas não foram só esses os efeitos da aporta aberta por Dilma. O Brasil viu que todos os seus sistemas ligados à gestão pública, começando pela sua errática Constituição Federal construída entre 1987 e 1988, estão fora do eixo. O Brasil é um país fora do eixo. Se está assim, sabemos que não foi construído da noite para o dia. Vem rolando de crise em crise política e econômica faz tempo. Remendos vinham tapando essa realidade.

Agora que se vê o governo de joelhos e o rei nu, a sociedade olha angustiada ao seu redor e se pergunta: quem vai consertar isso? A sociedade pensa em líderes messiânicos para assumirem o papel de salvadores da pátria exaurida. Eles não existem mais. Esta é a triste conclusão.

Que tipo de líder nos salvará? Com os avanços tecnológicos, vê-se claramente que líderes messiânicos já não falam com a massa, mas apenas com pessoas de menor nível cultural e economicamente dependentes. A juventude, que hoje é forte formadora de opinião no país, se comunica por canais da tecnologia nas redes sociais e não aceita comandos de líderes messiânicos. O novo líder terá que sair das bases da sociedade fora dos padrões messiânicos.

Os novos líderes políticos serão aqueles que forem capazes de falar com o maior número de pessoas, capazes de negociar sempre e sem categoria de mando por obediência. Isso se traduz pela organização da sociedade de tal modo que ela construa células de poder popular na forma de associações, grupos, instituições, etc. O novo líder político não precisará do aval dos partidos políticos, porque possui legitimidade de origem. A dolorosa conclusão, é a de que no mundo político que hoje gravita em torno do Estado brasileiro, ainda não surgiram os líderes horizontais de rede. Até lá, caos político. O assunto continua.

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso.E-mail:onofreribeiro@terra.com.br www.onofreribeiro.com.br


Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet