Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 22 de Setembro de 2020

0 4
:
5 4
:
3 1

Últimas Noticias

Notícias / Agronegócio

21 Mai 2014 - 08:21

ICMS para setor de reforma de pneus sobe 25% e segmento reivindica redução

Em Mato Grosso existem cerca de 54 empresas reformadoras de pneus, que geram aproximadamente 3 mil empregos diretos.

Agro Olhar

A reforma de um pneu equivale a uma economia de 30% no custo de um novo. Contudo a economia para os transportadores está se tornando inviável em decorrência ao aumento de 4% para 25% o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestações de Serviços (ICMS) para a matéria-prima adquirida pelos reformadores. O segmento de reforma de pneus reivindica a redução do imposto.

Hoje, por mês em Mato Grosso são reformados aproximadamente 40 mil pneus de caminhões, de acordo com o Sindicato da Indústria de Reciclagem de Resíduos Industriais, Domésticos e de Pneus do Estado de Mato Grosso (Sindirecicle-MT).

Recentemente o governo de Mato Grosso elevou a alíquota do ICMS da matéria-prima utilizada para a reforma de pneus. O salto foi de 4% para 25%. Segundo o diretor do Sindirecicle-MT, Fabrício Margreiter, quatro reuniões com a Secretaria de Estado de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz-MT) foram realizadas desde o reajuste. “Nenhuma medida para corrigir este erro foi tomada”.

Margreiter comenta que em decorrência as péssimas condições das estradas mato-grossense somente é possível reformar uma vez os pneus. Um caminhão possui cerca de 30 pneus, variando conforme o eixo e o tipo do veículo. “Com estrada em boas condições se poderia reformar de duas a três vezes o pneu. O que geraria ao transportador uma economia de 30% por pneu a cada reforma”.

O diretor do Sidirecicle-MT revela ainda que o setor pensa em entrar com recurso na justiça para reverter o aumento do ICMS, bem como buscar incentivos fiscais através da Secretaria de Indústria e Comércio do Estado (Sicme-MT).

Em Mato Grosso existem cerca de 54 empresas reformadoras de pneus, que geram aproximadamente 3 mil empregos diretos.

Outro lado

A Sefaz-MT frisa que o aumento da alíquota do ICMS decorreu-se a queda na arrecadação no setor de reforma de pneus. “O aumento é para neutralizar a arrecadação em queda. Algumas empresas entraram na justiça para não pagar o ICMS”, afirma o secretário adjunto da Receita Pública, na Sefaz-MT, Jonil Vital de Souza.

Conforme Jonil, o setor possui razão sobre o aumento da carga tributária e que por isso a Sefaz-MT está analisando uma adequação do ICMS. “Ainda não fechamos nada. Estamos buscando uma solução junto ao Sindirecicle-MT e demais empresas do setor”. 

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet