Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sábado 28 de Novembro de 2020

0 3
:
0 1
:
3 9

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Artigos e Opinão

9 Mar 2016 - 15:30

Paulo Ronan

Agência da Notícia com ONOFRE RIBEIRO

 Nesses 26 anos em que escrevo artigos neste espaço, tive que registrar, muitas vezes, a passagem de alguns amigos que nos deixaram, levados pela morte.

O último deles foi o amigo Paulo Ronan. Mineiro de boa conversa, bom argumentador, criador de saudáveis discussões, dono de refinada leitura política e econômica nacional e mundial.

Tivemos muito boas discussões sobre a geopolítica mundial. Nesse caso, gostava de provocá-lo pra aprender com ele.

Ao mesmo tempo em que provocava, ele conciliava. Certa ocasião, na antiga choperia Money Money, em Cuiabá, estávamos discutindo numa mesa. Um dos presentes, mais exaltado, irritou-se e ofendeu Paulo Ronan no campo pessoal.

A reação veio forte e o bate-boca foi bem exaltado. Imaginei que nascia ali uma inimizade. Que nada. Na hora de ir embora Paulo perguntou se o interlocutor tinha carro. Era meia-noite. Ele disse que não. Paulo disse: “vamos comigo, vou te deixar em casa”. E saíram abraçados.

Confesso que aquela generosidade marcou minha admiração por ele, independente de outros traços seus.

Convivemos próximos no governo Dante de Oliveira, a partir de 1998, quando ele era um conselheiro permanente no governo. Respeitado dentro do Estado-Maior de Dante, sua opinião fechava ou abria discussões.

Nem sempre nós concordamos, embora sentíssemos uma atração mútua pela boa prosa mineira. Lembro-me de um artigo que escrevi sobre os antigos dias de finados em Minas.

Ele ligou-me pra comentar como era na sua cidade e nossa conversa estendeu-se muito além dos velhos cemitérios mineiros.

Com sua morte aos 56 anos, perdemos mais um interlocutor confiável e preparado na política. Ao mesmo tempo em que sua alegria enorme animava conversas, a ironia fina desviava brigas e discussões, ou reorientava conversas tortas.

Gostava de vê-lo discorrer sobre temas com versatilidade enorme, boa memória, frases rápidas e palavras certeiras.

Por mim, a saudade de Paulo Ronan vai incluir também a prosa fácil e versátil. Ia da caçada de onça às contradições da economia chinesa.

Certamente, fará festa onde estiver, porque sempre achará um jeito de começar um boa prosa e dar andamento a uma boa polêmica.

Vai com Deus, Paulo Ronan!

ONOFRE RIBEIRO é jornalista em Mato Grosso.
ribeiro.onofre@gmail.com
www.onofreribeiro.com.br

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet