Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 28 de Setembro de 2021

1 0
:
2 4
:
1 1

Últimas Noticias

Enquete

Como você pretende investir o seu dinheiro nos próximos anos?

Notícias / Política

4 Jun 2014 - 08:45

Silval: "Todos usavam o Júnior Mendonça como banco"

No entanto, governador não confirmou se emprestou dinheiro com empresário

Agência da Notícia com Mídia News

 O governador Silval Barbosa (PMDB) se negou a falar à imprensa, na manhã desta terça-feira (03), se contraiu empréstimos milionários com o empresário Gércio Marcelino Mendonça, conhecido como Júnior Mendonça, principal suspeito de organizar um sistema criminoso para desviar dinheiro público.

Ambos são investigados pela Polícia Federal, na Operação Ararath.

“Não vou responder detalhadamente todo processo, porque a quebra de sigilo ocorreu aqui em Mato Grosso, mas eu estou, por determinação do STF, ainda sob sigilo. Apresentaram um monte de documentos que a equipe jurídica está cuidando. Mas vamos combater as falhas e abusos”, disse.
O governador admitiu, no entanto, que Mendonça é conhecido por todos os empresários de Cuiabá, e "usado como banco”.

“Todo mundo conhece ele, todos esses empresários. O Júnior Mendonça é uma figura pública que todos os empresários tinham como um banco”, disse.

Silval ainda negou ter um "caderno espiral" com anotações, que era procurado por agentes federais durante busca e apreensão em seu apartamento. Segundo Mendonça, era no caderno que o governador tinha anotado "todos os dados de uma dívida", referente a um acerto de contas.

"Esse caderno nunca existiu", disse.

Em depoimento, durante "delação premiada", o empresário suspeito afirmou que foi procurado por Silval, durante a campanha eleitoral de 2010. O governador, segundo ele, lhe pediu R$ 7 milhões emprestados.

O dinheiro seria usado na campanha eleitoral de reeleição, em que enfrentava o atual prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB).

Mendonça relatou, nos autos, que emprestou “apenas” a quantia de R$ 4 milhões, cobrando juros de 3% ao mês.

Na última sexta-feira (31), os advogados de Silval entraram com petições no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar anular a delação do empresário.

A tese dos advogados Válber Melo e Ulisses Rabaneda é que, quando Junior Mendonça citou nome de pessoas com prerrogativa de foro, dentre eles o do senador Blairo Maggi (PR), e do próprio Silval Barbosa, os procuradores da República, que atuam em Cuiabá, não poderiam prosseguir com os depoimentos do empresário.
“Constituí uma equipe jurídica e, no entendimento deles, houve falha no processo e por isso ingressaram com o pedido. É por isso que eles têm uma procuração minha para falar juridicamente sobre esse caso”, explicou o governador.

"Abuso" e renúncia

Para Silval Barbosa, houve outras falhas no processo da Operação Ararath. Entre elas a decretação de sua prisão e pagamento de fiança.

“Eles foram a minha residência, fizeram a devassa, nada encontraram, estou tranquilo em relação a isso. Então, o delegado me convidou para fazer uma declaração sobre a arma. Fui duas horas depois na PF. Chegando lá, a procuradoria falou que eu estava sem registro e que eu estava preso em flagrante”, relatou.

“Quando falo em abuso é que nem a procuradora, nem o delegado, naquele momento, poderia me prender e arbitrar fiança. Isso é coisa do juiz, do Supremo Tribunal Federal", disse.
Silval afirmou que não sabia da necessidade de renovação do porte de arma.

“Encontraram uma arma que tenho há décadas com registro vencido. Mas, particularmente, não sabia que registro vencia. Há pouco tempo, registro não vencia, isso veio depois do desarmamento”.

O governador negou recentes boatos de que iria renunciar ao cargo. “Nunca, isso é uma mentira que tentaram propagar. Jamais me passou pela ideia”, afirmou.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet