Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 30 de Março de 2020

0 4
:
4 8
:
2 9

Últimas Noticias

publicidade

Notícias / Política

24 Jun 2014 - 09:00

Serys critica poderio econômico e poucas candidaturas

Após ser preterida, ex-senadora disparou contra aliados

Agência da Notícia com Mídia News

 Contrariada com o fato de que, provavelmente, não disputará o Senado, por decisão de seu partido, a ex-senadora Serys Slhessarenko (PTB) criticou a tendência de poucas candidaturas ao Governo e ao Senado nas eleições de outubro próximo. Para ela, isso diminui as opções do eleitor, e é um “atentado à democracia”.

Na tentativa de viabilizar sua candidatura a senadora, Serys defendeu a formação de uma terceira via. Porém, seu próprio partido rejeitou a proposta e decidiu apoiar a candidatura de Pedro Taques (PDT) a governador e de Jayme Campos (DEM) a senador.

Ela também criticou o poderio econômico, um dos fatores mais considerados pelos partidos para se lançar candidaturas.

“O que está acontecendo agora é um pouco caso, um desdém, um atentado à democracia. Um desrespeito ao eleitor. Porque querem simplesmente colocar o eleitor diante de duas situações, de duas candidatura... Ou vai por aqui ou por ali. Seria interessante uma terceira via”, disse a senadora, que garante ainda ter esperanças de emplacar seu projeto eleitoral.
O principal adversário de Pedro Taques deve ser um candidato com apoio de toda a base governista. Atualmente, disputam a vaga o vice-governador Chico Daltro (PSD), o ex-vereador Lúdio Cabral (PT) e o ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva (PMDB).

“É muito ruim, muito feio entrar numa convenção dizendo que tem 80% de possibilidade de ganhar a eleição. Isso é deboche. É ridicularizar a democracia. É não acreditar que o povo é sábio e tem poder de escolha”, criticou a petebista.

Poder econômico

Ela ainda reclamou do poderio econômico envolvida na disputa eleitoral, e afirmou que esse poder está trazendo prejuízos para a democracia.

Serys ainda afirmou que "há pessoas" que não querem deixá-la ser candidata.

“E tem essa história que tem que ter dinheiro para a campanha. Claro que é bom ter uma certa estrutura, mas estrutura não é o decisivo. No Brasil e no mundo vemos o poder econômico trazendo um prejuízo enorme para a democracia. É uma crítica que faço a todos”, disse a ex-senadora.

“Será que não me deixaram ser candidata porque não querem mulher na política? Ou é uma questão ideológica, que a minha ideologia não bate com o candidato a governador, e o outro candidato a senador se aproxima mais? Ou é dinheiro?”, questionou.

"O raio caiu duas vezes na minha cabeça em pouco tempo", lamentou, referindo-se ao fato que, em 2010, também não conseguiu disputar o Senado, após perder as prévias que então decidiram o ex-deputado federal como candidato a senador do PT.

Na ocasião, Serys se envolveu em disputar internas com o partido que levaram à sua saída do PT.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet