Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 3 de Abril de 2020

1 8
:
0 3
:
1 9

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Geral

24 Jun 2014 - 09:10 | Atualizado em 24 Jun 2014 - 09:15

MP notifica Prefeitura a aderir ao programa

Denúncias apontam para a falta de profissionais nas unidades municipais de Saúde

Agência da Notícia com Mídia News

 O Ministério Público do Estado (MPE) recomendou que o prefeito Mauro Mendes (PSB) e o secretário municipal de Saúde, Wesley Silva Peres, tomem as providências necessárias para que Cuiabá comece a participar do programa federal “Mais Médicos”, em um prazo máximo de 60 dias.

A notificação partiu do promotor Alexandre de Matos Guedes, da 7ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania da Capital.

De acordo com Guedes, o MPE recebeu diversas denúncias de que as policlínicas da capital estariam sem médico clínico geral para atender os pacientes da rede pública.

Na recomendação, Guedes afirma que, em razão da ausência desses profissionais, os pacientes que necessitam de consulta estavam sendo transferidos para outras policlínicas com médicos plantonistas.

“Ocorre, também, que as policlínicas onde os pacientes são removidos muitas vezes também não possuem o referido profissional para realizar o atendimento, fazendo com que os doentes sejam submetidos a novas transferências, o que gera riscos a saúde e a vida dos mesmos”, disse Guedes.

Segundo o promotor, o Ministério Público tentou, por diversas vezes, saber o motivo da falta de profissionais na área de Saúde da capital.

“É preciso entender que diversos inquéritos civis que tramitam por esta promotoria informam que existe falta de médicos em várias unidades básicas de saúde. Fica evidente, portanto, a necessidade de se prover, de forma imediata, esses vazios nas unidades básicas de saúde”, afirmou o promotor.

No entendimento de Guedes, uma saída seria a adesão ao programa nacional “Mais Médicos”, que, mesmo enfrentando diversas críticas, não foi, até agora, “inquinado de ilegal ou inconstitucional pelo Poder Judiciário”.

“A indicação desses profissionais para unidades de saúde poderia liberar médicos que atuam nas unidades básicas de Saúde, mas já contratados de forma efetiva pelo Município para prestar serviços, ainda que temporariamente, nas policlínicas”, completou.

Outro lado

Ao MidiaJur, a Prefeitura de Cuiabá informou, por meio da Secretaria de Comunicação Social, que a capital não aderiu ao programa nacional porque ele é direcionado ao Programa da Saúde da Família e, hoje, esses postos estão todos ocupados.

A assessoria jurídica do Palácio Alencastro só retomará as atividades na próxima quarta-feira (25).

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet