Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 17 de Maio de 2022

2 0
:
1 4
:
5 4

Últimas Noticias

Enquete

Eleições 2022: Quantos deputados Estaduais e Federais o Araguaia deve eleger? Deixe seu comentário!

Notícias / Geral

28 Mar 2014 - 15:34

Projeto une agricultores familiares indígenas e não-indígenas para recuperar áreas degradadas

Associação Indígena APINUT é proponente do Interagir, que aposta na parceria como forma de recuperar a integridade dos ecossistemas através de Sistemas Agroflorestais

Redação com Agência da Noticia

Reprodução

Projeto une agricultores familiares indígenas e não-indígenas para recuperar áreas degradadas (Crédito: Reprodução)

Projeto une agricultores familiares indígenas e não-indígenas para recuperar áreas degradadas

 Aliar a sabedoria tradicional indígena com o conhecimento de agricultores familiares foi a solução encontrada para recuperar o solo degradado na região de Santa Terezinha, noroeste de Mato Grosso. Trata-se do Projeto Interagir, patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental, que tem mudado a forma de produzir e olhar para a terra em uma área marcada por um histórico de conflitos e invasões.

Desde que iniciou suas atividades, no segundo semestre de 2013, o Interagir já implementou os Sistemas Agroflorestais – SAFs em 20 hectares dos 90 previstos nas Terras Indígenas Tapirapé/Karajá e do Projeto de Assentamento Presidente, o assentamento de reforma agrária mais antigo do município.

Os SAFs são uma alternativa de produção agrícola sustentável que consorcia florestas com a produção de alimentos. Entre as suas principais vantagens estão a melhora na qualidade de adubação da terra, o menor custo para manutenção, a não utilização de agrotóxicos e a possibilidade de cultivo de várias espécies em um mesmo espaço.

A realização do Interagir só foi possível devido à iniciativa dos indígenas da aldeia Mãjtyri, através da Associação O Povo Indígena da Nação Unida Tapirapé (APINUT), que luta pela afirmação e dignidade socioambiental das comunidades da bacia hidrográfica Araguaia - Tocantins. Entretanto, o trabalho desenvolvido não beneficia apenas os nativos. “O protagonismo dos indígenas possibilitou uma quebra de preconceitos, por meio da união inédita de culturas distintas”, afirma Flávia Andrade, coordenadora do projeto.

O “Interagir” surgiu da necessidade de reverter um processo histórico de ocupação sem nenhum tipo de planejamento em Santa Terezinha.O manejo inadequado causou a destruição dos recursos naturais, principalmente das florestas, que, com o decorrer do tempo, foram fragmentadas e deram lugar às pastagens, culturas agrícolas e cidades.

Ações do Projeto

O Interagir já levou agricultores familiares e indígenas para conhecerem os sistemas agroflorestais estabelecidos no entorno do Distrito Federal, bem como ofereceu uma oficina lúdico-participativa com temáticas ambientais para alunos e professores das escolas do assentamento e da Aldeia Mãjtyri.

Até julho de 2015, o projeto revitalizará 45 hectares de mata ciliar e reconverterá 180 hectares de área degradada em área produtiva.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet