Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 25 de Outubro de 2021

0 7
:
0 9
:
2 5

Últimas Noticias

Notícias / Política

1 Ago 2014 - 16:30 | Atualizado em 1 Ago 2014 - 16:43

Desafio de Dilma é rejeição nos maiores colégios eleitorais

Reprovação em Minas e no Rio é acima de 50%, e chega a 60% em São Paulo, aponta pesquisa Ibope

Agência da Notícia com Redação

 Candidata à reeleição pelo PT, a presidente Dilma Rousseff lidera as intenções de voto no Estado do Rio, o terceiro maior colégio eleitoral do país, com 20 pontos percentuais de vantagem sobre seu adversário do PSDB, Aécio Neves. Já em Minas Gerais, segunda unidade da Federação com mais eleitores, o tucano tem dez pontos percentuais a mais que a presidente. Mas, no estado com mais votantes, a disputa entre os dois está acirrada. Dilma e Aécio estão tecnicamente empatados em São Paulo. A pedra no caminho da presidente nos três principais colégios eleitorais é sua própria administração à frente do país. Mais da metade dos entrevistados pelas pesquisas Ibope em cada uma destas três unidades da Federação, divulgadas anteontem, desaprovam a maneira como Dilma está governando o Brasil.


Em São Paulo, Dilma aparece com 30% das intenções de voto contra 25% de Aécio. Como a margem de erro do Ibope é de três pontos percentuais nas pesquisas estaduais, os dois estão tecnicamente empatados. Em Minas, o tucano tem 41%, e a presidente, 31%. No Rio, um dos estados em que Dilma obteve a maior vantagem sobre José Serra (PSDB) em 2010, a presidente aparece com 35%, enquanto Aécio tem 15%.

SP, MG E RJ TÊM 41,6% DO ELEITORADO

O estado foi um dos que mais deram dor de cabeça para a presidente na pré-campanha. PT e PMDB, aliados nacionalmente, travaram uma queda de braço para defender as candidaturas ao governo do senador Lindbergh Farias e Luiz Fernando Pezão, respectivamente. A batalha terminou com a maior parte dos peemedebistas abraçando a campanha de Aécio e comandando o movimento “Aezão”, de apoio ao tucano e ao governador Pezão, que tenta a reeleição.

Dilma tem no Rio quatro palanques: além de Pezão e Lindbergh, é apoiada pelo deputado federal e ex-governador Anthony Garotinho (PR) e pelo senador Marcelo Crivella (PRB). Na semana passada, a presidente realizou sua primeira atividade de campanha no estado — e ao lado do governador, o que despertou a ira do candidato petista.

No Rio, Dilma atinge os maiores percentuais entre pessoas com mais de 55 anos e entre os que concluíram até a 4ª série (atual 5º ano) do ensino fundamental. Já Aécio tem melhor desempenho entre os eleitores de ensino superior e apresenta índices homogêneos nas diferentes idades. Juntos, São Paulo, Minas e Rio têm 41,6% do eleitorado nacional.

Terceiro colocado nas pesquisas, o candidato Eduardo Campos (PSB) tem 6% em São Paulo e 5% em Minas e Rio. Nos oito estados em que o Ibope fez levantamento de intenções de voto para a corrida estadual depois do início da campanha eleitoral e questionou os entrevistados também sobre a preferência para o cenário nacional, apenas em Pernambuco o socialista está em meio ao duelo entre Dilma e Aécio. No estado em que governou até abril deste ano, Campos aparece com 37%, enquanto a presidente tem 41%, o que configura empate técnico entre os dois no estado.

MAIOR DESAPROVAÇÃO EM SP

Desde que começou a campanha, no dia 6 de julho, o Ibope fez pesquisas sobre as intenções de voto para o governo estadual em São Paulo, Minas Gerais, Rio, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Ceará. No caso do Ceará, a pesquisa não foi divulgada na íntegra pelo instituto, e não é possível saber qual o percentual de cada um dos presidenciáveis. Quando faz a pesquisa para o governo e o Senado, o Ibope pergunta ao entrevistado em quem ele vota para presidente.

A maior desaprovação da maneira como Dilma administra o país está em São Paulo: 60%. No Rio, embora lidere entre os candidatos ao Palácio do Planalto, o modo de governar da presidente tem 54% de desaprovação. Em Minas Gerais, o percentual é de 51%. Nos estados em que o levantamento foi realizado, a maior aprovação de Dilma é na Bahia — 59% —, estado governado pelo petista Jaques Wagner. É nesta unidade da Federação que a presidente tem o maior percentual de intenção de votos: 48%.

VENCER NO SUDESTE NÃO BASTA

Cientista político e diretor do Instituto de Estudos Estratégicos da Universidade Federal Fluminense (UFF), Eurico Figueiredo disse que o cenário está, neste momento, desfavorável à presidente, mas que ela tem o maior trunfo entre os candidatos: o ex-presidente Lula.

— Seja como for, esse quadro de hoje, que não é favorável, poderá mudar se o ex-presidente Lula se engajar. Agora, não sabemos até que ponto ele entrará na campanha — afirmou.

Segundo Figueiredo, mesmo com o embate desenhado no Sudeste, os presidenciáveis não deixarão de lado o Nordeste:

— O decisivo, em geral, é a união do Sudeste com o Nordeste. Essa é uma tradição da política brasileira que não mudou.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet