Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 1 de Dezembro de 2020

1 7
:
1 4
:
0 0

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Agronegócio

5 Ago 2014 - 08:04

Frete em Mato Grosso “despenca” quase 20% no trecho longo e 13% no curto

Além do fim da colheita da soja, a desvalorização da saca do milho é outro ponto que está pesando no frete.

Agência da Notícia com Agro Olhar

 O frete de grãos (soja e milho) está 17,8% menor para trechos longos e 13,3% para curtos em Mato Grosso em relação ao ano passado. Os percentuais referem-se ao valor pago pela tonelada de soja ou milho para ser transportada de Sorriso para Santos (trecho longo) e para Rondonópolis (trecho curto). Entre os motivos apontados pelo setor do transporte está a desvalorização da saca do milho.

O frete de grãos de Sorriso para Rondonópolis na última semana de julho estava em R$ 90 a tonelada. O valor era 13,3% maior que os R$ 78 a tonelada verificados na semana passada. Contudo, há relatos de transportadores de que chegou-se a ver o frete saindo a R$ 65 a tonelada na última semana de julho de 2014.

Já para o chamado trecho longo, por exemplo, Sorriso a Santos a queda no mesmo período foi de R$ 280 para R$ 230 a tonelada.

A redução é confirmada Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Mato Grosso (Sindmat). Conforme o diretor do sindicato, Claudio Rigatti, com o fim da colheita da soja a procura por caminhões diminuiu levando o frete a cair entre 10% e 15%.

“Estas são as médias mais comuns, pois o valor do frete depende do trecho de transporte contratado. Em alguns trechos, a queda ultrapassa 20%, o que significa em moeda algo em torno de R$ 60,00 sobre a tonelada, para o trecho entre Sorriso e Porto de Paranaguá (PR)”, comenta Rigatti.

Além do fim da colheita da soja, a desvalorização da saca do milho é outro ponto que está pesando no frete. "É preciso considerar que a desvalorização da saca de milho fez com que os produtores segurassem as negociações. Podemos dizer que com relação ao milho, a comercialização deste produto está ocorrendo com atraso. É isto que o segmento de transporte percebe".

Custos

As variações e quedas do valor do frete para o transportador impactam nos custos operacionais, pois diante de uma infraestrutura deficitária, ainda tem de enfrentar o aumento do roubo de veículos e de cargas, altos custos do óleo diesel, barreiras fiscais, falta de mão de obra, entre outros.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet