Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 5 de Dezembro de 2021

1 9
:
4 8
:
5 0

Últimas Noticias

Enquete

Na Sua opinião você é a favor ou contra a realização do carnaval em fevereiro de 2022

Notícias / Política

26 Ago 2014 - 15:05

Juiz manda bloquear R$ 3,2 milhões do Estado

Construtora não teria recebido pelas obras de restauração de duas estradas

Agência da Notícia com Mídia News

 A Justiça determinou, em caráter liminar, o bloqueio de R$ 3,2 milhões do Estado em virtude de uma dívida com a construtora Conspavi – Construção e Pavimentação LTDA.

A decisão é do juiz Alexandre Elias Filho, da 3ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá.

Na ação, a Conspavi alega que, juntamente com a Cepel Construtora, executou a obra de restauração da MT 344 – trecho entre a BR 070 (Campo Verde) e BR 364 (Jaciara), cujo serviço foi contratado via licitação em 1994.

Segundo a construtora, que pertence ao empresário Luiz Francisco Félix, a dívida total pela execução da obra chega a mais de R$ 32 milhões. No entanto, ela requereu liminarmente apenas R$ 3,6 milhões, com base em parecer concedido pela Auditoria Geral do Estado, que reconheceu a dívida.

Já o Estado alegou que a construtora não comprovou a realização do serviço e requereu a improcedência do pedido de pagamento ou reparação. Na contestação, foi defendido que a dívida, com juros e correção, seria de R$ 1,1 milhão.

Ao analisar o pedido, o magistrado verificou que os documentos juntados pela Conspavi “demonstram claramente o crédito que possui junto ao requerido”.

Ele também destacou que o não recebimento do valor devido comprometeu o funcionamento da empresa, que encontra-se em processo de recuperação judicial desde 2011 devido à inadimplência no recebimento dos pagamentos feitos ao Poder Público.

Na decisão, o juiz Alexandre ainda criticou a conduta do Estado, que, apesar de gerar riquezas para todo o país pela produção de soja, não consegue cumprir com o gerenciamento básico da máquina pública.

“Não é crível, portanto, ao requerido deixar de cumprir com suas obrigações constitucionais para com a saúde, com a educação, com a segurança, com as empresas prestadoras de serviço público, quando esse próprio ente da Federação está a gerar superávit com o seu agronegócio e que se tornou fonte de riqueza para a Nação”, destacou.

Assim, para o juiz Alexandre Filho, não seria cabível negar o pedido da empreiteira, pois o próprio Estado, na contestação, reconheceu “expressamente” que deve a importância de R$ 3,2 milhões.

“Diante do exposto, considerando estarem presentes os requisitos exigidos pelo art. 273, inciso I, c/c. parágrafo 6º, do Código de Processo Civil, defiro parcialmente o pedido de antecipação de tutela, apenas no que tange ao valor incontroverso de R$ 3.244.155,72 (três milhões, duzentos e quarenta e quatro mil, cento e cinqüenta e cinco reais e setenta e dois centavos), apurado em 18.07.2014, determinando, via de consequência, o bloqueio dessa importância via sistema Bacenjud, bem como seja liberada essa importância na conta bancária indicada às fls. 182”, decidiu.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet