Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 10 de Agosto de 2020

1 8
:
5 2
:
3 9

Últimas Noticias

Notícias / Agronegócio

7 Abr 2014 - 07:56

Frete da soja caiu em março cerca de 7% em alguns trechos ante 2013

O levantamento mostra ainda que entre Sorriso e o porto de Paranaguá o frete da oleaginosa fechou a R$ 280 a tonelada

Agência da noticia com Agro Olhar

Publicidade

 O aumento de contratos realizados entre as tradings e transportadoras, além das chuvas, levou o frete da soja cair em março 7,14% para alguns trechos longos frente o mês em 2013. Na variação mensal, em relação a fevereiro, o recuo chegou a 15,22%. Segundo o setor do transporte, tais fatores proporcionaram para que os armazéns não ficassem “cheios” nesta safra, onde foram colhidas 26,1 milhões de toneladas de soja.

Em março o frete da soja de Rondonópolis para o porto de Paranaguá (PR) saia a R$ 195 a tonelada. O ano passado havia fechado o mês a R$ 210. Ante fevereiro a queda foi de 15,22%. A informação é do boletim semanal do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

O levantamento mostra ainda que entre Sorriso e o porto de Paranaguá o frete da oleaginosa fechou a R$ 280 a tonelada, 1,75% menor que março do ano passado, mas estável diante fevereiro. Já entre Canarana e Santos o recuo foi de 3,84% no comparativo com março de 2013, revela o Imea.

De acordo com o diretor-executivo da Associação dos Transportadores de Cargas de Mato Grosso (ATC-MT), Miguel Mendes, muitos contratos entre tradings e transportadores foram travados ainda em outubro do ano passado. “Tivemos mais contratos entre tradings e transportadores fechados em 2014, por isso o frete está menor. As chuvas também proporcionaram para o recuo. Como houve esse crescimento de contratos fechados e as chuvas atrapalhando a colheita os armazéns não lotaram, como nos anos anteriores”, explica.

Milho

O diretor-executivo da ATC-MT comenta que o frete do milho irá depender da oferta e demanda. Entretanto, ele salienta que há a possibilidade de ser baixo em decorrência a redução da produção do cereal. “Se a produção de milho cai o preço do frete também, porque há disputa pela mercadoria entre os transportadores e isso faz o preço do cereal recuar”.

Na 2ª safra 2013/2014 de milho Mato Grosso deverá colher 15,2 milhões de toneladas, volume 32,42% menor que as 22,5 milhões de toneladas colhidas na safra 2012/2013.

 
Sitevip Internet