Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 6 de Abril de 2020

0 8
:
0 2
:
3 0

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Judiciário

4 Mar 2020 - 14:12

Justiça não encontra Bosaipo e refaz intimação sobre condenação

Ex-conselheiro foi condenado a 21 anos de prisão pelo crime de peculato em Mato Grosso

Mídia News

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
A Justiça não conseguiu localizar o ex-conselheiro do Tribunal de Contas Estadual (TCE), Humberto Bosaipo, para intimá-lo sobre a decisão que o condenou a 21 anos e 8 meses prisão, em regime fechado, pelo crime de peculato.
 
A sentença, dada em maio do ano passado pelo juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da 7ª Vasra Criminal de Cuiabá, também determinou a devolução de R$ 4,9 milhões aos cofres públicos.
 
Consta nos autos que o oficial de justiça foi até a casa do ex-conselheiro, mas não conseguiu intimá-lo porque “a sua residência se encontrava fechada, com portão, muro alto e sem interfone, impossibilitando a visualização de vestígios de pessoas no imóvel”.
 
Diante disso, o oficial informou que procedeu a intimação dos advogados do ex-conselheiros, através do Diário de Justiça, publicado no dia 22 de novembro de 2019.  
 
No entanto, segundo o Jorge Tadeu, da publicação do ato já se passaram aproximadamente três meses, sem qualquer manifestação dos advogados. Para ele, significa que não há interesse em recorrer da sentença condenatória.
 
Contudo, para se evitar futura alegação de cerceamento de defesa, o magistrado mandou expedir um novo mandado de intimação a Bosaipo, para ser intimado da sentença.
 
A condenação
 
A condenação é relativa à Operação Arca de Noé, deflagrada em 2003. 
 
A investigação apurou crimes de lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos à época em que Bosaipo atuou na Assembleia Legislativa nos cargos de presidente e primeiro-secretário.
 
Os crimes teriam ocorrido entre os anos de 2000 e 2002 e resultaram em um desvio de cerca de R$ 1,5 milhão.
 
Embora a condenação seja em regime fechado, o ex-conselheiro permanecerá em liberdade até que o caso seja julgado em segunda instância, pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).
 

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet