Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 6 de Abril de 2020

0 8
:
4 5
:
0 0

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Judiciário

11 Mar 2020 - 14:21

STF arquiva pedido para "acabar" com Fethab em MT

Ministro Gilmar Mendes entende que Sociedade Rural Brasileira é ilegítima para propor ADIN

Mídia News

A Ação Direta de Inconstitucionalidade contra lei do Estado de Mato Grosso que instituiu o Fundo de Transporte e Habitação (Fethab) foi arquivada pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), nessa terça-feira (10) em Cuiabá.
 
O ministro também pediu o recolhimento em algumas operações de circulação de mercadorias. Somente no ano passado, o Fundo arrecadou cerca de R$ 1,5 bilhão ao Estado, valores que foram importantes para a recuperação fiscal e a realização de alguns investimentos em infraestrutura.
 
A representação no STF foi protocolada pela Sociedade Rural Brasileira (SRB). Segundo a inicial, o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), estaria  causando um aumento de custo para os agricultores que comercializam produtos para outros estados.
 
Ante o exposto, em face da ilegitimidade ativa ad causam da requerente, nego seguimento à presente ação
“Ante o exposto, em face da ilegitimidade ativa ad causam da requerente, nego seguimento à presente ação direta de inconstitucionalidade”, disse Gilmar Mendes.
 
O pagamento do Fethab incide sobre produtos agropecuários, mas também sobre óleo diesel e energia elétrica.  
 
O Fethab foi criado pelo governo do estado do Mato Grosso, em 2000, com o objetivo de arrecadar fundos para a construção e manutenção da infraestrutura rodoviária e habitação.
 
Entretanto, segundo a SRB, apenas 30% (trinta por cento) destes recursos têm sido aplicados nas atividades geridas pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística.
 
A maior parte é utilizada pelo Tesouro do Estado indiscriminadamente, inclusive para custeio da máquina e pagamento de salários.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet