Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quinta-feira 29 de Outubro de 2020

1 0
:
0 4
:
3 2

Últimas Noticias

Notícias / Judiciário

30 Mar 2020 - 14:28

Justiça bloqueia bens de deputado por doação irregular de terreno

Fatos são referentes à época em que Romoaldo Junior era prefeito de Alta Floresta

Redação

Mídia News

 (Crédito: Mídia News)
O juiz Jean Garcia de Freitas Bezerra, da 2ª Vara da Comarca de Alta Floresta, determinou a indisponibilidade dos bens do deputado Romoaldo Júnior (MDB) e de Lucilene Jardim de Lima, até o limite de R$ 144.927,26. Lucilene é esposa de um ex-servidor da Prefeitura de Alta Floresta.
 
O valor bloqueado é o estimado para dois lotes urbanos que Romoaldo teria transferido para o nome de Lucilene quando ainda era prefeito de Alta Floresta. A transferência dos terrenos foi feita sem licitação e sem comprovação de pagamento. A fim de ressarcir o erário, o Ministério Público Estadual propôs ação civil pública.
 
Ao ser questionada pelo MPE, Lucilene confirmou as transações e alegou ter pago R$ 15 mil pelo lote, em dinheiro. No entanto, não apresentou nenhum documento referente à alegação.
 
Na ação, o MPE afirmou, ainda, que o marido de Lucilene “manteve vínculo empregatício com a administração municipal no início do mandato” de Romoaldo em Alta Floresta e, “já no apagar das luzes, ele e sua esposa foram beneficiados com dois imóveis públicos”.
 
Ao analisar os autos, o magistrado verificou que a atuação de Romoaldo nas alienações irregulares pode ser constatada no teor das escrituras públicas de compra e venda, nas quais ele figura como representante do município de Alta Floresta.
 
R$ 72 mil por lote
 
Quanto ao valor de cada um dos imóveis em questão, que corresponde aos supostos danos suportados pelo município, o Ministério Público apresentou três avaliações de cada um deles, feitos por métodos diversos (evolutivo, comparativo e por valor imobiliário). Pela média das estimativas, indicou o montante de R$ 72.463,63 como correspondente ao preço atual de cada um deles.
 
"Por entender como adequado o valor atribuído a cada um dos bens e considerando que dois foram os lotes alienados, pertinente que as medidas de indisponibilidade dos bens dos requeridos se restrinjam ao valor total de R$ 144.927,26, em adequação à jurisprudência do STJ", ressaltou o magistrado.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet