Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quinta-feira 28 de Maio de 2020

2 0
:
4 5
:
0 0

Últimas Noticias

Notícias / Política

4 Mai 2020 - 09:40

Após ser condenado a pagar R$ 100 mil por homofobia, Galli entra com ação rescisória

Olhar Direto

Olhar Direto

 (Crédito: Olhar Direto)
O ex-deputado federal Victório Galli (PSL), que foi condenado a pagar R$ 100 mil por danos morais coletivos em uma ação da Defensoria Pública de Mato Grosso, que o acusou de dar manifestações preconceituosas às pessoas homossexuais, entrou com uma ação rescisória pedindo descontituição da sentença de 1º grau. De acordo com a defesa, há prova nova apta a promover a rescisão.

A Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso entrou com uma ação civil pública contra o ex-deputado por conta de suas manifestações preconceituosas às pessoas homossexuais. Em uma de suas atitudes contra a comunidade, Galli defendeu o projeto de lei que assegurava a possibilidade de líderes religiosos questionarem e criticarem a homossexualidade.

Ele também é autor do projeto de lei n.º 5774/2016, que propõe criminalizar o uso de banheiros públicos pelas pessoas transgêneras. Em outro episódio, Galli, em entrevista à Rádio Capital, alegou que a Disney e o Mickey fazem apologia ao “homossexualismo” e estariam acabando com a família tradicional brasileira.

Em março de 2019 a juíza Celia Regina Vidotti, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, condenou o ex-deputado a pagar R$ 100 mil por danos morais coletivos. Ela determinou que o dinheiro fosse destinado a uma entidade sem fins lucrativos em Cuiabá que atue com a comunidade LGBT.

O deputado, no entanto, não se conformou com a condenação. Mesmo após o trânsito em julgado, com recurso negado no Supremo Tribunal Federal (STF), ele decidiu entrar com uma ação rescisória.

Galli contratou o escritório Rachid Jaudy Advogados para patrocinar sua defesa. Por meio de uma nota o ex-deputado diz que o escritótio, "sensibilizado com a minha tragédia", aceitou a causa e argumentou que houve deficiência técnica de defesa, cerceamento de defesa, já que não houve audiência de instrução, alegou "decisão-surpresa" e "prova nova apta a promover a rescisão da sentença".

Na nota Galli ainda diz que o procurador de Justiça Edmilson da Costa Pereira deu parecer favorável pela procedência da ação.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet