Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quinta-feira 24 de Setembro de 2020

0 9
:
1 7
:
2 4

Últimas Noticias

Notícias / Judiciário

22 Mai 2020 - 08:36

OAB-DF suspende a inscrição de Selma e pede que ela se explique

Cassada na Justiça Eleitoral, a ex-senadora por Mato Grosso quer advogar no Distrito Federal

Mídia News

Mídia News

 (Crédito: Mídia News)
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Distrito Federal, suspendeu a inscrição da senadora cassada Selma Arruda (Podemos) concedida no último dia 6 de abril, que dava permissão para a ex-juíza advogar.
 
Selma teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), decisão que foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em dezembro. A ex-juíza ingressou com recurso para tentar reverter a cassação.
 
A magistrada, que havia manifestado o desejo de advogar, ingressou com pedido junto à OAB-DF em fevereiro deste ano, sendo deferida sua inscrição como advogada. Ocorre que, no último dia 6 de maio, a inscrição foi suspensa.
 
Segundo a determinação da secretária-geral adjunta da OAB-DF, Karina Amorin Costa, a ex-juíza não informou à Ordem que tinha um processo eleitoral ainda em trâmite quando pediu a autorização para advogar.
 
"Ante a declaração de que não respondeu a processo e ante a verificação de que responde, suspendo os efeitos da decisão de deferimento de inscrição até que a requerente esclareça o porquê não declarou o processo"

Para isso, a secretária-geral suspendeu a inscrição da ex-juíza até que ela apresente provas e esclareça os motivos de não ter revelado o processo no TSE.
 
“Em diligência aferi que a requerente responde a processo junto ao Tribunal Eleitoral. Ante a declaração de que não respondeu a processo e ante a verificação de que responde, suspendo os efeitos da decisão de deferimento de inscrição até que a requerente esclareça o porquê não declarou o processo e junte cópia integral para análise dessa comissão", determinou no 6 de maio.
 
A inscrição, desde então, está sob análise da secretária-geral.
 
“Sem idoneidade moral”
 
Ao tomar conhecimento do pedido de Selma para advogar, a OAB-MT se manifestou contrária à concessão da permissão. O documento foi assinado pelo presidente da OAB-MT, Leonardo Campos, e encaminhado no dia 13 de maio à seccional do DF, portanto depois da decisão de suspensão do registro.
 
No documento, o presidente apontou que na decisão que cassou o mandato, a Corte Eleitoral também determinou sua inelegibilidade.
 
“Considera Selma Arruda inidônea para receber mandato popular, ou seja, não pode representar o povo. Teria ela, então, idoneidade moral para receber mandato para representar pessoas perante a administração e Poder Judiciário? Não!”, apontou trecho do pedido da OAB-MT. 
 
Ainda na manifestação, a OAB-MT relatou que enquanto juíza, Selma chegou a responder por um processo no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) por decretar a prisão do advogado Francisco Faiad, durante a Operação Sodoma. A representação acabou arquivada no CNJ. 
 
Selma atuou na Vara de Combate ao Crime Organizado de Cuiabá e em 2018 teve seu pedido de aposentadoria acolhido pelo Tribunal de Justiça do Estado.
  
A reportagem entrou em contato com a ex-juíza, mas não obteve retorno.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet