Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quinta-feira 9 de Julho de 2020

1 8
:
1 6
:
5 5
publicidade

Notícias / Política

3 Jun 2020 - 09:08

"No auge da pandemia, Emanuel fecha UTI's e reabre o comércio"

Mauro Carvalho cita incoerência de prefeito e o convida para conhecer trabalho feito na Santa Casa

Mídia News

Publicidade

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho (DEM), criticou a forma como o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) tem conduzido a gestão em meio à pandemia do novo coronavírus, a Covid-19.
 
Em entrevista à Rádio Capital FM, nesta terça-feira (02), ele citou a exclusão de 40 Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o tratamento do vírus e a decisão de reabrir shoppings e bares no auge do crescimento do número de infectados na Capital.
 
“O que a gente não entende nesse raciocínio é o seguinte: aumenta o número de casos em Cuiabá e a decisão é fechar UTI e reabrir o comércio. Eu não tenho nada contra reabrir comércio, muito pelo contrário. O que estou dizendo é que lá atrás não tinha necessidade de fechar, porque existiam mínimos casos em Cuiabá”, afirmou.
 
"O que estou dizendo é que lá atrás não tinha necessidade de fechar o comércio, porque existiam mínimos casos em Cuiabá".

“E ele [Emanuel Pinheiro] foi literalmente contra, dizendo que o Governo do Estado não tinha que opinar. Foi e fechou tudo. Agora, no auge da pandemia, ele reabre. Ou seja, não tem coerência, técnica ou conceito. É lamentável a forma e a falta de respeito da Prefeitura de Cuiabá”, acrescentou.
 
Carvalho criticou o argumento do prefeito de que o governador Mauro Mendes (DEM) quis politizar a situação com a ação judicial que pediu para fiscalizar os leitos de UTI's voltados à Covid-19.
 
Na última semana, o juiz Onivaldo Budny, da Vara Especializada da Fazenda Pública, autorizou o Governo de Mato Grosso a fiscalizar os leitos exclusivos da Covid-19 da Prefeitura. Caso o município não permita a fiscalização será aplicada multa diária de R$ 10 mil. 
 
“É lamentável essa postura da Prefeitura em relação a qualquer questionamento que o Governo faça. Qualquer questionamento, a Prefeitura vem com essa desculpa de que é para fins eleitoreiros, para política”, disse.
 
“O que o Governo tem falado e provado com documentos é o seguinte: No ano passado já existiam 145 UTI's em Cuiabá. O questionamento é quantas UTIs a Prefeitura de Cuiabá ampliou após a pandemia? Não criou nenhuma. Cuiabá simplesmente cadastrou todas as UTI's para o coronavírus, como se não tivesse mais nenhuma tipo de enfermidade aqui”, afirmou.
 
Fiscalização em unidades
 
"No auge da pandemia, ele reabre. Ou seja, não tem coerência, técnica ou conceito. É lamentável a forma e a falta de respeito da Prefeitura de Cuiabá".

O chefe da Casa Civil ainda ironizou o anúncio da Prefeitura de Cuiabá de que vai acionar a Justiça Estadual para que seja autorizada a fiscalização os leitos de UTI e emergência do Hospital Estadual Santa Casa, na Capital, e no Hospital Metropolitano, instalado em Várzea Grande.
 
O secretário disse que Emanuel precisa, primeiro, se tornar governador para fiscalizar unidades fora da Capital. Mas disse estar convidado para conhecer a administração da Santa Casa.
 
“Primeiro, o prefeito Emanuel tem que se candidatar a governador do Estado para ter esse direito. Mas independente dele ter ou não esse direito, a Santa Casa está aberta para ele ver o serviço de qualidade que está sendo prestado. Ao contrário dele, as nossas portas estão abertas”, afirmou.
 
“Mas gostaria que ele também tivesse a mesma atitude com o direito que o Governo tem. Quando as pessoas não têm o que falar, porque contra fatos não tem argumentos, vem com esse discursinho. É um prazer receber o prefeito na Santa Casa, que inclusive ele deixou fechar e nós reabrimos”, completou.
 

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet