Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quinta-feira 29 de Outubro de 2020

1 6
:
2 0
:
0 3

Últimas Noticias

Notícias / Judiciário

12 Jun 2020 - 10:20 | Atualizado em 12 Jun 2020 - 10:30

Advogado de Confresa é o primeiro a fazer sustentação oral por meio do novo sistema de videoconferência

Redação

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
Uma semana depois de inaugurar o plenário virtual do Tribunal de Justiça de Mato Grosso e julgar 514 processos, a Primeira Câmara Criminal, presidida pelo desembargador Orlando Perri, realizou nesta terça-feira (12/05) a sua primeira sessão por videoconferência. Foram julgados 61 dos 63 processos da pauta. Com quatro horas e meia de duração, a sessão teve 10 sustentações orais.
 
Primeiro a fazer a sustentação oral, o advogado Armando Martins ressaltou a importância da sessão por videoconferência, principalmente para os profissionais do interior. “Muitas vezes o nosso cliente não tem condições de pagar honorário, quanto mais o deslocamento de 2 mil quilômetros do advogado até Cuiabá”, destacou. Armando Martins é de Confresa e contou que a sustentação oral de hoje foi a primeira da sua carreira.
 
Também fizeram sustentação oral os advogados Raphael de Freitas Arantes, Giovane Santin, Onório Gonçalves da Silva Júnior, Andressa Sene, Alcidiney de Amorim, Gilberto José Cador e Edno Damascena Farias, alguns em mais de um processo.
 
O desembargador Orlando Perri, avaliou como positiva a experiência e ressaltou a importância dos magistrados se adaptarem às novas tecnologias. “Em tempos de pandemia temos que usar esses recursos para manter o Poder Judiciário funcionando”, ressaltou. Os desembargadores Paulo da Cunha e Marcos Machado, que compõem a Primeira Câmara Criminal, reforçaram a importância do recurso.
 
Moção de pesar - Ao final da sessão, o desembargador Paulo da Cunha propôs moção de pesar ao juiz Jurandir Florêncio de Castilho Júnior pela morte de seu pai, o desembargador aposentado Jurandir Florêncio de Castilho, que morreu no último dia 10 de maio, aos 79 anos. Paulo da Cunha destacou a grande admiração que nutria pelo colega.
 
Orlando Perri subscreveu a moção de pesar e disse que a morte do desembargador aposentado foi uma grande perda. “Era uma figura maravilhosa, alegre e muito me honra ter convivido com ele”. Marcos Machado também lembrou sua admiração pelo desembargador aposentado, quando ainda atuava como promotor de Justiça.
 


Vídeo Relacionado

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet