Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sábado 15 de Agosto de 2020

1 0
:
0 6
:
0 8

Últimas Noticias

Notícias / Educação

9 Jul 2020 - 09:50

Professores recebem certificado pela conclusão do curso de Mediação de Conflitos Escolar

O curso de Mediação de Conflitos Escolar, que contemplou 22 professores de escolas de Cuiabá e VG, tem por objetivo prevenir e diminuir os registros de violência e indisciplina nas escolas da rede estadual

Secom-MT

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)

Publicidade

Os 22 professores da rede estadual de ensino de Mato Grosso, que participaram do curso de Mediação de Conflitos Escolar, receberam os certificados de conclusão nesta terça-feira (07.07), durante solenidade realizada via videoconferência. O Mediação Escolar é um projeto promovido pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e o Poder Judiciário.

O foco principal do curso é oferecer aos profissionais da educação formação em práticas de resolução pacífica de conflitos, a fim de fomentar a adoção dessas habilidades pela comunidade escolar. Com isso, espera-se formar uma importante estratégia para mitigar os casos de violência nas escolas e possibilitar a construção de uma cultura de paz nesses ambientes.

Participaram do curso professores do Núcleo de Mediação Escolar da Seduc e coordenadores pedagógicos e diretores das Escolas Estadual Pascoal Ramos, Francisco Alexandre Ferreira Mendes, Leovegildo de Melo, Tancredo de Almeida Neves e André Avelino Ribeiro, de Cuiabá, e da Escola Deputado Emanuel Pinheiro, de Várzea Grande.

Esses profissionais já estão aptos a usar técnicas de mediação para solucionar conflitos como indisciplina, violência e intolerância nas unidades de ensino.

O Curso, realizado em 2019, teve carga horária de 100 horas, sendo 40 de formação teórica e 60 de prática. Esta foi a segunda turma de professores, coordenadores e diretores capacitados em Cuiabá e Várzea Grande.

Conforme destacou a secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, essa é uma importante parceria com o MPE e o Tribunal de Justiça que proporciona a formação dos profissionais da educação para trabalhar práticas de resolução de conflitos nas escolas.

“Com ações educativas e preventivas é possível evitar conflitos e violência envolvendo professores, alunos e pais. Esse projeto vai muito além da cultura da paz dentro da escola, pois essas ações, realizadas na escola, vão refletir em toda a comunidade escolar, inclusive dentro de casa também”.

A líder da equipe de Mediação Escolar da Seduc, Lúcia Couto, destacou que a formação foi repleta de conhecimentos, ensinos e descobertas e que proporcionou a ela novos olhares enquanto pessoa e profissional. “Que possamos continuar com este trabalho promissor, com desafios, expectativas, erros e acertos. Que busquemos cada dia mais ajudar na transformação dos conflitos”.

Segundo o coordenador do projeto de Mediação Escolar, promotor de Justiça Miguel Slhessarenko Júnior, a intenção é ampliar o projeto para outros municípios do Estado e envolver muito mais escolas nessa ação. Ele destacou ainda, que essa é uma ação importante a qual os mediadores escolares terão que colocar em prática assim que as aulas presenciais retornarem na rede estadual.

Também participaram da solenidade o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, o procurador-geral de Justiça do Estado de Mato Grosso, José Antônio Borges Pereira, o procurador-geral do Estado, Francisco de Assis da Silva, a instrutora de mediação escolar Maria Helena Bezerra, a presidente do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, desembargadora Clarice Claudino da Silva.

Os certificados foram encaminhados por e-mail aos professores, coordenadores e diretores das escolas.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet