Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 4 de Agosto de 2020

1 6
:
4 7
:
4 1

Últimas Noticias

Notícias / Geral

9 Jul 2020 - 15:10

Substitutivo integral de projeto que autorizava invasão de terras indígenas é aprovado na AL

Olhar Direto

Fablício Rodrigues - ALMT

 (Crédito: Fablício Rodrigues - ALMT)

Publicidade

O Projeto de Lei Complementar (PLC-17/2020), que chegou a ser taxado de "PL que autoriza a invasão de terras indígenas", foi aprovado em primeira votação nesta quarta-feira (8) no plenário da Assembleia Legislativa e agora aguarda as modificações e emendas dentro da Comissão de Meio Ambiente para que possa ser enviado ao governo do estado.

Nesta  votação, o plenário conseguiu 13 votos sim, 4 não 3 abstenções. Vale ressaltar que o projeto já foi totalmente modificado pelo próprio governador Mauro Mendes (DEM). Agora, o PLC trata de adequações com relação ao Cadastro Ambiental Rural (CAR), licenciamento e dá outras providências. 

A mudança dos termos do texto aconteceu após polêmica, que virou matéria no Jornal Nacional, destacando que projeto anteriormente elaborado pelo governador facilitava a invasão de aldeias indígenas de Mato Grosso. 

Antes que os trechos do projeto fossem derrubados em segunda votação, o Palácio Paiaguás reeditou o texto. Com isso, foram retirados da pauta os artigos 01, 02 e 04 que permitiam a regularização fundiária de terras indígenas não homologadas.

Antes disso, o deputado Lúdio Cabral (PT) já havia cobrado o governador Mauro Mendes sobre a necessidade de mudar a mensagem. “Esse projeto é inconstitucional e ilegal. Se o projeto for aprovado, 27 terras indígenas ficarão ameaçadas em Mato Grosso. Os fazendeiros que grilaram terras em áreas indígenas usarão o CAR para legitimar a invasão. Essa proposta favorece apenas os grileiros, colocando em risco as populações indígenas, o meio ambiente, e até mesmo o agronegócio, pois Mato Grosso pode sofrer sanções comerciais impostas por países importadores da produção do estado”, alertou Lúdio.

O deputado Silvio Fávero (PSL) foi contra a aprovação do projeto em plenário. Segundo ele, muitos fazendeiros quando chegaram em Mato Grosso não sabiam que suas terras pertenciam a terras indígenas.

A deputada Janaína Riva (MDB), que apesar de ter votado a favor da aprovação da lei que adequa o Cadastro Ambiental Rural (CAR), também seguiu o discurso de Silvio e disse que algumas famílias hoje sofrem com essa situação de demarcação de terras indígenas. 

"Tenho amigos e famílias que me ligam e dizem que quando chegaram aqui em Mato Grosso não tinham área demarcada. Ninguém sabia que era área de aldeias indígenas. Infelizmente muitos fazendeiros sofrem. Muitos. Eu voto a favor, mas precisamos rever a questão das demarcações", comentou a parlamentar. 

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet