Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 1 de Dezembro de 2020

1 8
:
2 3
:
3 6

Últimas Noticias

Notícias / Geral

13 Jul 2020 - 16:10

Trump frita publicamente o principal epidemiologista dos EUA

Presidente se exime de responsabilidade pelo avanço da pandemia em 40 estados e desqualifica o infectologista Anthony Fauci, conselheiro de saúde de seis presidentes americanos.

Al Drago/Pool via Reuters

 (Crédito: Al Drago/Pool via Reuters)
No afã de se ver livre da pandemia do novo coronavírus, agindo como se ela não representasse um obstáculo à sua reeleição, o presidente Donald Trump lidera um processo de fritura do principal epidemiologista dos EUA, o prestigiado Anthony Fauci. Transfere para ele a responsabilidade pelo fracasso no controle da doença, questionando publicamente a competência do veterano infectologista, que, aos 79 anos, já trabalhou com cinco de seus antecessores.

O descompasso entre Trump e Fauci era evidente nas entrevistas diárias concedidas inicialmente na Casa Branca até que elas foram suspensas. Agora que a epidemia não dá sinais de arrefecer nem desce do patamar de 60 mil novos casos diários, o presidente e outros integrantes de seu governo desqualificam o maior especialista em doenças infecciosas do país e o jogam para escanteio.

É mais um tiro no pé. A confiança dos americanos em Fauci se mostra inabalável: 67% dos entrevistados na última pesquisa New York Times/Sienna College acreditam e seguem as orientações que ele fornece sobre o coronavírus; apenas 26% confiam nos conselhos de Trump.

Os dois não se encontram desde o início de junho. Fauci foi afastado das reuniões no Salão Oval, não é mais escalado para entrevistas do governo. “Ele é um cara legal, mas cometeu muitos erros”, justificou Trump. O presidente culpa Fauci por levá-lo para um caminho contrário ao que dizia sua intuição.

Um destes erros que ele credita ao assessor de saúde da Casa Branca foi o de desaconselhar a população ao uso de máscaras no início do surto. Fauci alega que o fazia porque naquele momento o país sequer dispunha de equipamentos suficientes para o pessoal da área médica.

Na gestão da pandemia, fica claro para a maioria dos americanos que as grandes falhas cabem ao presidente. Sobretudo por ter politizado a doença e acirrado a divisão do país. Traduza-se por isso a prescrição de hidroxicloroquina para o tratamento da infecção, que ele pregou insistentemente e até usou, e a frequente pressão pela reabertura antecipada do país. No momento, concentra-se na intimidação para o retorno às aulas.

Diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA, o imunologista insiste que o país ainda está de joelhos diante da primeira onda da pandemia. E tenta atenuar didaticamente os disparates proferidos pelo presidente: vinculou, por exemplo, o aumento dos números da doença à realização de testes e classificou 99% dos casos das infecções como “totalmente inofensivos”.

"Estou tentando descobrir onde o presidente conseguiu esse número", ponderou o perplexo Fauci ao jornal “Financial Times”. "O que eu acho que aconteceu é que alguém lhe disse que a mortalidade geral é de cerca de 1%. E ele interpretou, portanto, que 99% não são um problema, mas, obviamente, não é esse o caso".

Ficou impraticável para Fauci seguir a cartilha de Trump, sob risco de ter de rasgar o vasto currículo. Resiste como voz dissidente aos ataques que partem da Casa Branca. E também à campanha de difamação promovida por ativistas de extrema direita, que disseminam a hashtag #FireFauci (Demita Fauci) nas redes sociais com a mesma violência com que o novo coronavírus avança em pelo menos 40 estados americanos. Mas até quando?

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet