Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 1 de Dezembro de 2020

1 7
:
4 8
:
2 2

Últimas Noticias

Notícias / Cidades

16 Jul 2020 - 10:10

Estudantes denunciam Unic por não aplicar desconto na pandemia

Desconto mínimo na pandemia é de 5%, mas pode chegar a até 30%

Folha Max

A União Estadual dos Estudantes de Mato Grosso (UEE), entidade que representa a classe dos discentes, denunciou, por meio das redes sociais, o não cumprimento por parte da Universidade de Cuiabá (UNIC) da Lei Nº 11.150/20, de autoria do deputado Silvio Fávero, que determina o desconto nas mensalidades, enquanto perdurar o período da pandemia.

De acordo com a Lei sancionada no início de junho, tornou-se obrigatório em Mato Grosso o desconto mínimo de 5% no valor das mensalidades, com a possibilidade de flexibilização de 10% a 30% (percentuais de descontos a serem concedidos durante a pandemia e que só começarão a ser pagos, 90 dias após o término da pandemia).

Silvio Fávero também é relator e deu parecer favorável pela constitucionalidade do Projeto de Lei Nº 533/20, que trata da obrigação das instituições de ensino privadas de concederem além dos 5% de desconto por pontualidade que já é praticado, mais 5% estabelecidos na Lei Nº 11.150, de autoria do parlamentar.

“É inadmissível que ainda existam escolas e faculdades dando 0% de descontos aos estudantes neste período de pandemia. Além de ilegal é uma falta de sensibilidade total com os estudantes e com a sociedade que vive hoje a maior crise da história recente. Sempre reforço que a minha luta durante as discussões no Poder Legislativo sempre foi da concessão de 30% de desconto”, disparou Silvio Fávero. 

Em sua página oficial, a Universidade de Cuiabá argumenta, contrariando a Lei, que está realocando todos os custos operacionais para investimentos em uma nova estrutura tecnológica e que, em virtude disso continuará cobrando as mensalidades dos alunos de forma integral.

“Ilegal, imoral, insensível com nossa realidade! É um absurdo assistirmos nossos estudantes tendo que acionar o Ministério Público Estadual, a Delegacia do Consumidor e o Procon para que sejam preservados o direito de estudar”, finalizou o parlamentar, conclamando o apoio dos demais deputados estaduais na cobrança da aplicação da lei de desconto das mensalidades escolares.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet