Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sábado 24 de Outubro de 2020

0 5
:
5 9
:
4 6

Últimas Noticias

Notícias / Economia

25 Jul 2020 - 09:40

Fiscais pressionam AL para revogar decreto que "promove" agentes em MT

Sindicato alega que enquadramento deveria ocorrer por proposta aprovada na AL e não por decreto

Folha Max

O Sindicato dos Agentes de Administração Fazendária da Secretaria de Fazenda do Estado de Mato Grosso (SAAFEMT) solicitou à Assembleia Legislativa (AL/MT) a edição de um Decreto Legislativo visando sustar o Decreto 559/2020, do Poder Executivo. O decreto foi publicado no dia 10 de julho e determinou o aproveitamento dos Agentes de Tributos Estaduais (ATE's) na carreira de Fiscais de Tributos Estaduais (FTE's), classe A, nível I. 

Segundo o presidente do SAAFEMT, Manoel de Jesus Sombra Teixeira, o decreto do Poder Executivo descumpre decisão judicial proferida pelo TJMT na ADI 18.861/2015, e outra decisão judicial proferida pelo STF na ADI 3199, além de padecer de vício de inconstitucionalidade. "O decreto foi editado sem observar o devido processo legislativo pertinente à matéria, em afronta ao que dispõe o Art. 45, X da Constituição do Estado de MT, violando ainda, o disposto no Art. 60, VII dos Atos das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Estadual (CE/MT)".Ou seja, de acordo com a CE/MT, o Estado deveria apresentar proposta legislativa, através de Lei Complementar, garantindo a integração das três carreiras específicas da Administração Tributária da Sefaz-MT, com a efetiva participação dos representantes das categorias no procedimento de extinção, aproveitamento e unificação de ATE, Agente de Administração Fazendária (AAF) e FTE.

Com o aproveitamento via decreto, como foi feito, e não por Mensagem do Executivo de um Projeto de Lei Complementar, conforme regulamenta a CE/MT (Art. 45, X, c/c o Art. 60, VII, dos ADCT), o Poder Executivo excluiu os AAFs e os Agentes de Fiscalização e Arrecadação de Tributos Estaduais (AFATE's) de também serem extintos e aproveitados no mesmo ato, atendendo o disposto na Constituição Estadual. 

"Não somos contra o reenquadramento dos ATE's na carreira de Fiscais de Tributos, somos contra a forma como o Governo do Estado agiu com as categorias, no arrepio da lei e com a finalidade única de excluir as duas carreiras do direito de fazerem parte do procedimento de  aproveitamento de cargos. Nunca fizemos e não faremos nada para prejudicar qualquer carreira específica da Administração Tributária, estamos apenas defendendo os direitos da nossa categoria", afirmou Manoel Teixeira.

O presidente da SAAFEMT ressalta que há mais de duas décadas os Agentes de Administração Fazendária lutam para ver o Estado cumprir uma  sentença transitada em julgado, que  reconheceu suas atribuições como específicas da Administração Tributária e determinou a isonomia com os Fiscais de Tributos. 

"Mesmo com o trânsito em julgado, o Estado insiste em não reconhecer a decisão judicial. Lutamos para ver a justiça ser feita, em defesa de nossas competências e da garantia dos direitos adquiridos para o cargo que prestamos concurso público", reiterou Teixeira. 

Além da reestruturação da carreira, os servidores AAF's buscam, por parte dos gestores, reconhecimento e melhores condições de trabalho no órgão e nas Agências Fazendárias.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet