Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quinta-feira 13 de Agosto de 2020

0 0
:
3 0
:
0 4

Últimas Noticias

Notícias / Polícia

1 Ago 2020 - 08:30

Em ligação ao Samu, empresário falou que adolescente morta com tiro tinha “batido a cabeça”; ouça

Em nenhum momento da ligação, Marcelo Cestari informou que Isabele Ramos tinha sido baleada

Folha Max

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)

Publicidade

O empresário Marcelo Cestari foi quem ligou para o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) informando sobre o “incidente” com a adolescente Isabele Guimarães Ramos, 14 anos, no dia 12 de julho, em sua mansão no condomínio Alphaville 1, em Cuiabá. Porém, ao invés de informar que a garota havia sido baleada, ele disse que ela tinha “caído e batido a cabeça”.

A gravação da ligação de Cestari para acionar uma equipe médica foi divulgada pelo site Hipernotícias. Ela ocorreu às 22h03. 

“Oi, rápido a menina caiu no banheiro aqui no Alphaville. Está saindo muito sangue, (ela) está perdendo muito sangue”, dizia o empresário desesperado. 

Ao ser questionado, ele reforçou que ela tinha batido a cabeça. “Ela caiu e bateu a cabeça, tem uns dois litros de sangue no chão. Rápido, rápido aqui no Alphaville I. Ela está perdendo muito sangue”.

Na sequência, o empresário afirma que a adolescente não estava respirando e cobra rapidez para o atendimento dela. “Rápido, moça. Por favor. Ela está perdendo muito sangue, muito sangue. Ela está desacordada. Não estou sentindo a respiração dela”, colocou.

Em nenhum momento da ligação, Cestari informou que a garota havia sido baleada. Isabele Ramos morreu por um disparo de pistola, supostamente acidental, dado pela filha do empresário.

Cestari chegou a ser preso logo após o assassinato por posse ilegal de arma de fogo. Contudo, foi solto após pagar fiança de R$ 1 mil. A Justiça chegou a ampliar a fiança para R$ 209 mil, mas o Tribunal de Justiça anulou a decisão.

Desde o crime, a Polícia Civil vem investigando a circunstências em que a adolescente foi morta. A mãe dela, Patrícia Guimarães Ramos, não acreditou na versão da família Cestari.

A adolescente autora do disparo disse que foi guardar a arma a pedido do pai, mas nesse momento Isabele passou por ela ela escada e se dirigiu ao quarto. A menor foi atrás da amiga, que estava no banheiro.

Ao chamá-la, o case onde a pistola estava caiu. Ela pegou a arma com uma mão e o case com outra. Foi quando ocorreu o disparo que atingiu a estudante na cabeça. 

Desde o crime, a Polícia Civil colheu diversos depoimentos para esclarecer a situação. Porém, o caso está tramitando em sigilo.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet