Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 18 de Setembro de 2020

0 4
:
0 3
:
3 0

Últimas Noticias

Notícias / Judiciário

3 Ago 2020 - 16:00

MP indica que não quer fazer acordo com influencer envolvida em morte de menino

RD News

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
OMinistério Público Estadual (MPE) indicou que não pretende fazer “acordo de não persecução penal” com a digital influencer Lidiane Campos em relação à acusação pela morte do menino Daniel Augusto Costa, de 3 anos, em Rondonópolis. Esse mecanismo evitaria que ela respondesse ao processo criminal, que teve denúncia recebida pela Justiça. Ela agora é ré.

O acordo foi criado pela Lei Anticrime, aprovada em 2019 pelo Congresso. Trata-se da possibilidade de o acusado confessar a prática de um crime sem violência ou grave ameaça e que tenha pena menor que quatro anos de prisão. A negativa ao possível acordo consta em comunicação enviada pelo promotor de Justiça Fábio Paulo Da Costa Latorraca junto à denúncia oferecida na 3ª Vara Criminal de Rondonópolis.

 “Deixo de oferecer a proposta de acordo de não persecução penal, pois entendo que tal benesse não é suficiente para reprovação e prevenção do crime, sobretudo porque as provas constantes no inquérito policial são firmes no sentido de que a denunciada deixou de prestar socorro às vítimas, mesmo sendo possível fazê-lo, bem como pela ausência de confissão circunstanciada, é dizer, de que agiu com imprudência, praticando homicídio culposo na direção de veículo automotor, o que obsta o oferecimento do instituto”, registrou o MPE.Latorraca também negou a possiblidade de outro benefício a Lidiane: a suspensão condicional do processo. Esse mecanismo legal poderia ser dado à acusada se a pena mínima prevista fosse igual ou menor a um ano de prisão. O promotor registrou que a pena prevista para os crimes supostamente praticados pela influencer é maior que isso.

A esposa do ex-deputado federal Adilton Sachetti deve responder por homicídio culposo e lesão corporal na direção de veículo automotor. O MPE pretende que eventual condenação tenha pena aumentada porque ela deixou de prestar socorro. Além disso, pede que seja estabelecida indenização à família por danos morais e materiais.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet