Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quarta-feira 25 de Novembro de 2020

0 8
:
3 8
:
2 4

Últimas Noticias

Notícias / Política

10 Ago 2020 - 08:50

Desvio da Assembleia Legislativa entregou ambulâncias no interior

Folha Max

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
Não só para quitar despesas de formaturas e funerais de servidores servia a verba de suprimentos de fundos, da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. De acordo com o ex-deputado estadual José Geraldo Riva, o desvio também pagou entregas de ambulâncias para municípios do interior do estado.

Na gravação da delação, o ex-presidente da Casa das Leis afirma que, além de pagar despesas, a verba de suprimento de fundos também complementava o salário de servidores. No entanto, o desvio também foi usado para conseguir ambulâncias para comunidades e distritos.Com a “omissão” do estado, a verba era utilizada em “equipamentos que o estado não conseguia entregar”, segundo diz. “Essa verba era muito utilizada pra isso, e inclusive, nós chegamos a adquirir ambulâncias com recursos de suprimento de fundo e entregar”, conta.

Riva então passa a citar os municípios que receberam os equipamentos. “Eu me lembro de uma ambulância que foi entregue no Guariba (distrito de Colniza), que eu entreguei e foi adquirida com esse recurso. Me lembro de uma entrega na BriaNorte (distrito de Nova Maringá), que também foi com esse recurso. Terra Roxa, no município de Juína, também recebeu uma. nova união, município de Cotriguaçu”, listou.

Conforme aponta o ex-presidente, o desvio se tratava de “mudança” de finalidade. A princípio, ela não era utilizada para apropriação de recurso ou enriquecimento ilícito. Porém, em seguida, ele concorda que houve desvios nesse sentido.

“Logicamente que não dá pra afirmar que não tenha havido nenhum desvio, que esse recurso foi apenas um desvio de finalidade. Mas dá pra afirmar com convicção que o intuito não era esse, o intuito era atender todas as demandas como eu afirmei”, aponta.

Para a entrega das ambulâncias, os servidores manipulavam os documentos, apreendidos na Operação Metástase. “Por nossa determinação os servidores atestavam falsamente o recebimento da mercadoria ou a prestação de serviço e isso é possível comprovar através da documentação apreendia, através das prestações de contas”.

Operação Metástase

Investiga o desvio de R$ 2 milhões da Assembleia Legislativa, através de verbas de suprimentos, "mensalinhos", que custearam festas de formaturas, massagens, uísque, combustível de aeronave particular, entre outros itens. Foram presos na época, os ex-chefes de gabinete de José Riva, Maria Helena Caramelo e Geraldo Lauro. O ex-presidente da Assembleia José Riva é apontado como líder do esquema.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet