Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 25 de Setembro de 2020

1 7
:
0 1
:
2 3

Últimas Noticias

Notícias / Geral

14 Ago 2020 - 15:00

MP investiga contratação de funerária, sem licitação, para transporte de pacientes vivos

Vinicius Mendes/Olhardireto

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
O promotor Marcelo Mantovanni Beato, da Comarca de Peixoto de Azevedo (a 673 km de Cuiabá), instaurou inquérito civil para apurar a contratação de uma funerária, que também realizou transporte de pacientes vivos, sem licitação. As contratações perduraram por três anos.O representante do Ministério Público cita que chegou a seu conhecimento que o Município de Peixoto de Azevedo contratou irregularmente os serviços da empresa Rosimere Rodrigues Maciel Funerária ME, para remoção de pacientes, com ambulância, entre os anos de 2017, 2018 e 2019.

O departamento de compras do município foi oficiado para apresentar cópia dos procedimentos licitatórios, porém informou que a empresa foi contratada sem licitação. O MP também pediu cópia dos registros de pagamento pelos serviços prestados pela funerária e, através deles, foi possível verificar que a empresa, na verdade, havia sido contratada em 2018, por meio de pregão, para prestar serviços de auxílio-funeral e translado funerário.

O MP ainda apurou que também foram feitos diversos pagamentos à funerária para prestação de serviços de transporte de pacientes. Todos estes serviços foram contratados sem realização de licitação. Veja a lista dos pagamentos.

"Os documentos, por ora, estão a indicar um possível fracionamento indevido de serviços de prestaçaõ contínua à administraçaõo, com dispensa indevida de licitação", disse o representante do MP.

O promotor disse que teria sido criada uma situação conhecida como "emergência fabricada". Ele considerou que esta foi uma desculpa do Executivo Municipal para não realizar o procedimento licitatório.

"Considerando que, na verdade, reforça a imperiosidade daquela de análise sobre a emergência fabricada a constataçã de inexistência de nenhuma circunstância – que não a falta de planejamento – de natureza especial que justificasse a contratação excepcional ou o parcelamento do serviço durante os anos", disse.Ele então instaurou inquérito para apurar atos de improbidade administrativa na dispensa indevida de licitação para aquisição de serviços de transporte de pacientes e por violação a princípio constitucional, decorrente de emergência fabricada.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet