Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 18 de Setembro de 2020

0 3
:
4 8
:
1 0

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Judiciário

17 Ago 2020 - 11:20

Riva e Bosaipo recorrem ao STF contra condenação por fraudes de R$ 1,19 milhão na AL

Vinicius Mendes/Olhardireto

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
Os ex-deputados José Riva e Humberto Bosaipo entraram com dois recursos extraordinários com agravo junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra uma decisão do Tribunal de Justiça que negou recurso contra a sentença que os condenou por fraudes no valor de R$ 1.199.458,98 na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. O recurso será julgado pelo Ministro Marco Aurélio.Os recursos de Riva e Bosaipo são contra acórdão da Quarta Câmara Cível do TJ. Conforme narrou o relator, desembargador Luiz Carlos da Costa, em seu voto, a Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso emitiu 21 cheques, no período de agosto de 2000 a outubro de 2002, em favor da firma individual Hermes Patrick Bergamach de Lis, no valor total de R$ 1.199.458,98, alguns deles assinados por José Riva e Humberto Bosaipo.

A empresa, no entanto, não existia. Foi verificado que ela não estava localizada no endereço indicado, não era escrita na Sefaz ou na Secretaria Municipal de Fazenda de Várzea Grande e a pessoa de nome Hermes Patrick Bergamach de Lis não foi localizada nos endereços apontados e não figura como eleitora de Mato Grosso.

"Somente a partir do final de 2004 a firma passou a ter registros cadastrais em órgãos públicos, ou seja, dois anos depois da finalização dos pagamentos efetuados pela ALMT em seu favor, bem como, após o Ministério Público ter requisitado documentos e informações à Assembleia Legislativa de Mato Grosso e de ter colhido declarações de José Geraldo Riva, de Geraldo Lauro e de Luiz Godoy sobre suas investigações", citou o relator.

Os responsáveis pela criação jurídica da firma individual Hermes Patrick Bergamach de Lis, em 2004 foram os contabilistas Joel Quirino Pereira e José Quirino Pereira.

"A prova documental autoriza dizer que se está diante de operação planejada e executada pelos principais líderes do parlamento estadual, à época, para sacar dinheiro dos cofres da Assembleia Legislativa, em esquema de que participavam servidores qualificados daquele órgão".

O TJ então negou recurso de Riva e Bosaipo e manteve a sentença de 1º grau, pelo ressarcimento do dano ao erário, suspensão dos direitos políticos, imposição de multa. Também havia sido determinada a indisponibilidade de bens.Os recursos no STF foram distribuídos ao ministro Marco Aurélio no último dia 12 de agosto. A princípio havia sido distribuído ao presidente do STF, ministro Dias Toffoli, mas ele afirmou que "inexistem óbices jurídicos que justifiquem a atuação da Presidência neste feito".

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet