Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 18 de Setembro de 2020

0 5
:
2 7
:
1 8

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Agronegócio

24 Ago 2020 - 08:37

Soja tem 2ª feira de altas na Bolsa de Chicago; Brasil deve ter nova semana compradora

Notícias Agrícolas

Repórter Agro: Tiago Seiffert

 (Crédito: Repórter Agro: Tiago Seiffert)
Os futuros da soja acompanham todas as demais commodities e inicia a semana em campo positivo na Bolsa de Chicago. Por volta de 6h55 (horário de Brasília), as cotações subiam entre 3 e 4 pontos nos principais vencimentos, com o novembro valendo US$ 9,08 e o março/21 a US$ 9,21 por bushel. 

O mercado mantém suas atenções sobre o clima nos EUA para a conclusão da safra 2020/21, bem como no comportamento da demanda chinesa no mercado norte-americano. O comportamento dos fundos também favorece o avanço dos preços, acompanhando não só os grãos na Bolsa de Chicago, mas também o petróleo e as softcommodities na Bolsa de Nova York. 

"Última semana cheia de agosto comencando com a Bolsa de Chicago tentativamente mais firme. O entusiasmo hoje está levando investidores a melhorarem um pouco seu apetite ao risco", explica o consultor de mercado Steve Cachia, da Cerealpar.

Assim, ao longo da semana, segundo analistas e consultores, o mercado deverá continuar observando os números divulgados pelo Pro Farmer na última sexta-feira (21), possíveis novas compras da China nos EUA e as condições de clima no Corn Belt, especialmente as que precisam de chuvas para garantirem seu potencial produtivo. 


NO BRASIL

No Brasil, mais uma vez a semana deverá ser marcada por uma atuação mais forte dos compradores do que dos vendedores, "com as indústrias buscando a matéria-prima para trabalhar estes próximos meses e outros tentando melhorar a escala, assim podendo pagar até um pouco mais do que esta girando, mas para volumes complementares", explica Vlamir Brandalizze, consultor de mercado da Brandalizze Consulting.

A demanda interna agora exige mais soja no setor de rações, que ainda precisa processar muito grão para a produção de farelo. Já no setor do biodiesel, ainda segundo Brandalizze, a redução da mistura do óleo de soja no óleo diesel de 12% para 10% mudou a dinâmica do mercado. 

"Isso deve diminuir a pressão nas cotações que fizeram avançar quase R$ 1000 por tonelada em pouco mais de um mês. Pode ter uma fase de calmaria no óleo e, desta forma, aos poucos podendo diminuir a necessidade das indústrias de ir atrás do grão a qualquer preço. Mas, a semana ainda será muito compradora", completa. 

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet