Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quinta-feira 29 de Outubro de 2020

1 6
:
3 8
:
4 9

Últimas Noticias

Notícias / Agronegócio

13 Out 2020 - 10:42

Com escassez, milho pode bater nos R$ 75/saca

Redação - Repórter Agro com Agrolink

Repórter Agro: Tiago Seiffert

 (Crédito: Repórter Agro: Tiago Seiffert)
O quadro de Oferta e demanda do milho nacional, divulgado na última semana pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), sinaliza a continuidade da alta dos preços do milho no Brasil. “Houve redução de 760,2 mil toneladas dos estoques finais projetados para a safra, colocando-os como os segundos mais baixos dos últimos sete anos”, indicam a Consultoria TF Agroeconômica.

Os analistas da TF já vêm alertando há dois meses – desde que previram em agosto a possibilidade de alta para mais de R$ 70,00 dos preços (que estavam a R$ 60,00 na época) –, aumenta o aperto da disponibilidade de milho no Brasil. “Tanto para atender a forte demanda do setor de carnes, como para atender as demandas de exportação, diante do dólar que continua alto. Não é suficiente para atender o mercado, o que eleva os preços com a finalidade de garantir a captação do seu abastecimento no período”, explicam.

Ainda faltam três meses para a primeira colheita de milho no Rio Grande do Sul e quatro meses para começar a colheita no Cerrado. “Neste período que falta é possível que os preços subam mais: eles atingiram nossas projeções, feitas para o final de outubro, já no dia 2, com 28 dias de antecedência, de modo que é perfeitamente possível que continuem avançando”, apontam os especialistas. Mas, há fatores contrários, ressalvam:

a) Os preços do milho paraguaio, que chegariam ao RS e a SC um pouco abaixo dos preços locais;

b) A pequena ou nenhuma lucratividade dos produtores de leite e de ovos, que vende na maior parte das vezes apenas no mercado interno e não se beneficiam das altas do dólar, como os produtores de carne, que exportam e podem acompanhar as altas dos preços da matéria-prima. 

“Então nossas projeções são de que os preços continuem subindo, mas, com mais cuidado, podendo chegar a R$ 75,00/saca, com reservas”, conclui a equipe de analistas da Consultoria TF Agroeconômica.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet