Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 20 de Outubro de 2020

0 5
:
4 2
:
5 6

Últimas Noticias

Notícias / Política

15 Out 2020 - 16:20

Candidatos focam em corrupção, políticas para mulheres e VLT

Candidatos associaram adversários a esquemas, mas não fizeram nenhuma nova denúncia

Folha Max

Reprodução:

 (Crédito: Reprodução:)
Temas como corrupção, políticas para mulheres bem como preconceito e desvalorização feminina em cargos públicos, transporte coletivo e Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) ganharam destaque no 1º debate entre os candidatos à Prefeitura de Cuiabá. O "confronto" entre os postulantes ao Palácio Alencastro ocorreu na TV Vila Real (TV Record 10.1).

No quesito corrupção, foram citados esquemas nos governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (ambos PT) e no atual governo de Jair Bolsonaro envolvendo seu vice-lider no Senado, Chico Rodrigues (DEM), flagrado pela Polícia Federal nesta quarta-feira (14) com R$ 30 mil na cueca, escondidos entre as nádegas. Também foi mencionado o ex-governador Silval Barbosa preso por chefiar vários esquemas de corrupção e afastamentos de quatro secretários municipais que integravam o staff do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que não participou do debate alegando questão de biossegurança por causa da pandemia da Covid-19.

Os episódios de corrupção ocorridos outras gestões alheias à Prefeitura de Cuiabá foram citados como tentativas de desqualificar outros participantes do debate por supostas ligações com grupos políticos, coligações e governos compostos por partidos citados em tais episódios.

Em vários momentos, o candidato Abílio Júnior, o Abilinho (Podemos) tentou desqualificar Júlier Sebastião da Silva (PT) citando casos relativos às gestões de Lula. "Julier fala que combateu o crime organizado, mas lança sua candidatura com um live com um condenado por corrupção", disse, numa referência ao ex-presidente Lula.

Num determinado momento, Julier rebateu dizendo que nenhum dos apoiadores do presidente Bolsonaro, incluindo Abilinho, comenta o episódio do vice-líder do atual presidente flagrado com dinheiro na cueca ou os cheques, que totalizaram R$ 89 mil, depositados na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro pelo ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz.

Outro episódio foi protagonizado pelo candidato Gilberto Lopes Filho (Psol), que acusou Abilinho de ser “farinha do mesmo saco” que Emaneuel Pinheiro. Ele lembrou que, nas eleições de 2016, quando foram eleitos vereador e prefeito, ambos estavam no mesmo grupo político. Abilinho refutou a acusação e Gilberto emendou que o melhor nome na disputa era do Procurador Mauro (Psol) que disputava a prefeitura e foi alvo de campanhas difamatórias. O vereador do Podemos admitiu que apoiou o grupo de Emanuel, mas logo foi para a oposição e admitiu que o candidato do Psol foi vítima de mentiras e ataques.

Gilberto Lopes também tentou ligar o candidato Roberto França (Patriotas) ao ex-governador Silval Barbosa por causa de reuniões e valores que o ex-prefeito foi ao Palácio Paiaguás cobrar de Silval. França reagiu exigindo respeito e justificou tratar-se de valores que Silval devia de propaganda e divulgação institucional ao seu programa de televisão. 

“Um bandido e um réu confesso que não tem moral pra falar de mim. Ele devia R$ 800 mil para o Resumo do Dia, fui no Palácio Paiguás cobrar isso. Exijo respeito, essa acusação é leviana. Ele não tem moral pra falar do Robeto França, fui cobrar publicidade que fizemos. Não recebi um centavo sequer”, disse Roberto França.

Em seguida, ele acrescentou que o candidato do PSOL estava acusando toda a imprensa, de forma leviana. “Não sou obrigado a divulgar trabalhos do governo de graça. Durmo bem no meu travesseiro porque sou um político sério e honesto”, rebateu França.

VLT

Dentro da proposta de melhorias no sistema de transporte público e mobilidade urbana em Cuiabá, o tema VLT ganhou destaque nas falas de quatro candidatos, mas apenas um deles, Julier Sebastião da Silva (PT), afirmou ser a favor da conclusão do modal de transporte lançado pelo Governo do Estado para ser concluído antes de junho de 2014. No entanto, consumiu mais de R$ 1 bilhão com obras que não chegaram aos 50% de execução.

Gisela Simona (PROS), Aécio Rodrigues (PSL) e Abilinho afirmaram que não é viável economicamente retomar e concluir a obra, que demandaria quase mais R$ 1 bilhão para ser concluída e ainda dependeria de milhões de reais por parte do Governo e Prefeitura para custos de manutenção e funcionamento.

Aécio afirmou que VLT não é competência de Prefeitura e que mesmo assim alguns candidatos usam o tema de forma populista para ganhar a simpatia de quem depende do transporte público.

MULHER NA POLÍTICA

Gisela Simona e Julier Sebastião foram os candidatos que mais falaram de propostas de seus planos de governo para contemplar políticas de valorização da mulher no ambiente corporativo e no meio político. Ambos repudiaram o candidato Abilinho por ter dito que Gisela "era uma boa candidata, mesmo sendo mulher". Gisela chegou a pedir direito de resposta, mas foi negado pela produção do debate.

A candidata afirmou que a postura de Abilinho demonstra como as mulheres sofrem preconceitos. “Publicamente eu sofri essa ofensa e repudio aqui”, rebateu ela, ressaltando que Abilinho só faz ataques, acusações e sequer dialoga com parte da impensa.

Por fim, Gisela Simona rebateu dizendo que o vereador Abílio subestima as mulheres e a capacidade delas apresentarem propostas. “Ele não leu meu plano de governo”, afirmou a candidata ao mencionar algumas das propostas e políticas voltadas para a valorização profissional, qualificação e saúde das mulheres.

Julier "defendeu" Gisela e chegou a pedir que Abílio se desculpasse com a candidata, o que não ocorreu.

Já Abílio, colocou que políticas de valorização da mulher vão além de ter uma "secretaria pintada de rosa, mas que serve de cabide de empregos". "Quero pessoas capacitadas na prefeitura, independente de gênero".

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet