Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quarta-feira 25 de Novembro de 2020

1 4
:
2 0
:
4 0

Últimas Noticias

Notícias / Política

29 Out 2020 - 11:00

MT descarta dar "aumento real", mas pretende pagar RGA em 2021

Estado pretende chegar aos limites da LRF para recompor salários

ALLAN MESQUITA

Reprodução:

 (Crédito: Reprodução:)
Apesar do equilíbrio nas contas do Estado, o governador Mauro Mendes (DEM) adiantou nesta quarta-feira (28) que não vai buscar qualquer subterfúgio jurídico para conceder aumentos salariais reais aos servidores públicos em 2021. No entanto, a tendência é que a RGA (Recomposição Geral Anual) seja dada.

Mendes, no entanto, reforçou que o pacote emergencial de R$ 60 bilhões aprovado pelo Governo Federal, em razão da pandemia, impede a concessão de reajustes salariais até o fim de 2021. “Eu já esclareci isso muitas vezes. A lei federal diz clara e objetivamente que até o final de 2021 não pode ter nenhum reajuste e ponto. Em 2022, por força dessa lei nós voltamos a discutir”, pontuou. A fala ocorreu quando Mendes comentava uma fala da deputada Janaina Riva (MDB) que, durante o evento, disse a imprensa que seria possível debater a reposição inflacionária através da Lei orçamentária anual (LDO). “Existe uma discussão federal em cima dos Estados que tem a viabilidade e não tem para pagamento. Por isso que eu falo que a discussão é ampla. Ano passado não tinha, ano que vem a realidade não é outra? Pelo que parece é. O STF tem uma lei que diz que os Estados que estão passando por uma dificuldade financeira não são obrigados a pagar o RGA, mas nós temos uma lei que diz que o RGA é legal, constitucional e havendo uma lei tem que pagar”, defendeu Riva. 

Promessa de campanha do então candidato ao Governo do Estado, Mauro Mendes em 2018, o pagamento da RGA tem sido a principal bandeira de luta dos servidores do Poder Executivo Estadual desde a gestão do ex-governador Pedro Taques, no ano de 2016. De lá pra cá, o funcionalismo estadual vem realizando uma série de protestos na tentativa de conseguir a recomposição.

No início de 2019, porém, uma das primeiras medidas do governador foi a aprovação de leis para cortar despesas com o funcionalismo, já que o Estado havia estourado os limites da LRF. Uma delas criou condições para a concessão do RGA e outros aumentos salariais.

Próximo a se enquadrar aos limites da LRF, o Governo estuda estratégias de pagar a revisão anual no próximo ano. Uma das opções é pagar valores referentes aos anos de 2018 e 2019, em que a RGA não foi paga.

Se ainda não pôde pagar a RGA, Mauro Mendes destacou que sua gestão avançou muito no tratamento com os servidores públicos. Ele lembrou que, quando assumiu o Estado, o funcionalismo estava com salários sendo escalonados e com 13º de 2018 atrasado.

Atualmente, o Estado regularizou os salários e voltou a pagar os servidores dentro do mês trabalhado. Em 2019, pagou o 13º salário em 20 de dezembro e, neste ano, já pagou a primeira parcela em junho. Ontem, ele anunciou que o Estado pagará os "juros" dos salários esclaonados aos servidores.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet