Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 25 de Janeiro de 2021

2 2
:
3 8
:
2 7

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Política

25 Nov 2020 - 08:50

Abílio lembra escândalos de EP, que o acusa de roubar igreja e ser "bon-vivant"

Candidatos partiram para ataques na reta final da campanha

Folha Max

Reprodução:

 (Crédito: Reprodução:)
O primeiro debate na disputa do segundo turno a prefeitura de Cuiabá mostrou o clima quente entre o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e o vereador Abílio Brunini (Podemos). Trocas de acusações e tentativas de desqualificá-los entre si eram a tônica do encontro realizado pela Fecomércio (Federação do Comércio de Mato Grosso).

Assim como ocorreu durante o período em que esteve na Câmara, Abílio usou o vídeo do paletó, aluguel fantasma, afastamento de secretários de Saúde e Educação, além do procurador-geral para tentar desestabilizar o prefeito. Emanuel não deixou barato e também partiu para o ataque.Acusou Abílio de ter sido “fantasma” na Secretaria de Infraestrutura do Governo do Estado durante a gestão do ex-governador Pedro Taques (SD), bem como de “roubar” o dízimo dos fiéis da Igreja Assembleia de Deus. Por diversas vezes, eles tiveram a atenção chamada pelo mediador do debate, o cientista político João Edison. “Por favor senhores, civilidade”, João Edison.

Em determinado momento do debate, Emanuel partiu ao ataque. “Corrupto e mal intencionado é o senhor, que envolve toda a família. Agora a pouco fiquei sabendo que o senhor foi fantasma na Secretaria de Infraestrutura”, disparou Emanuel Pinheiro.

Abílio rebateu e chamou o atual prefeito de mentiroso, o comparando ao personagem de desenho infantil Pinóquio.“Quando o senhor for mentir olha pra baixo pro seu nariz não crescer e me machucar”, assinalou.

Emanuel ainda questionou o “preparo” de Abílio para administrar a Capital quando o adversário disse que o limite prudencial para gasto com pessoal é de 53% da receita. “Veja por aí o preparo do candidato. O limite prudencial é 51,3% e o máximo é 54% da receita. Felizmente, a sociedade está descortinando essa máscara de falso puritano”, assinalou.

PALETÓ E ROUBO NA IGREJA

Por diversas vezes, o candidato da oposição tocou no assunto do vídeo do paletó. “Quanto o Silval devia para seu irmão que o senhor nem contou e saiu correndo”, questionou Abílio.

Em resposta, Emanuel o acusou de roubar o dízimo dos fiéis da Igreja Assembleia de Deus. Também ironizou o curriculum de Abílio.  “O senhor foi um bon-vivant que até os 36 anos de idade seempre viveu de indicações em cargos públicos até ganhar da família mandato de vereador”, detonou o prefeito.

Sobre a acusação de roubo na igreja, Abílio respondeu que “topo falar da minha igreja, se o senhor falar quanto o Sìlvio te entregou naquele dia”.

COAÇÃO DE SERVIDORES

Abílio também acusou Emanuel de coagir servidores públicos do município para apoiá-lo na eleição deste ano. Citou áudios da prima do prefeito, Miriam Pinheiro, e da secretária de Educação, Edilene Machado, que determinam que os servidores façam campanha após às 18h00. “O senhor e sua equipe tem constrangido os servidores a apoiá-lo. Política de terror”, disparou.

Emanuel rebateu, lembrando que Abílio já travou diversos embates com os servidores públicos. “Craque, expert, em filmar, constranger, coagir servidor público é o senhor. Haja BO registrados”, recordou.

Emanuel aproveitou a resposta para alfinetar o governador Mauro Mendes.  “Máquina pública municipal não está sendo usada na campanha. Não sei dizer a estadual”, citou.

APOIOS

Os apoios recebidos pelos candidatos no 2º turno também foram motivos de trocas de acusações. Abílio citou o apoio do PT ao atual prefeito. “Qualquer um que quiser nos apoiar e votar, é bem vindo. Quem tem apoio do PT é o senhor. Não tenho compromissos com essas pessoas que estão manifestando apoio a mim, não prometi cargos, secretarias”, completou.

Já Emanuel acusou o vereador de negociar cargos para receber os apoios que ganhou no segundo turno. “Existe um condenado na sua campanha. Existe um toma lá, dá cá, com a Gisela Simona. E a nossa prestação de contas é a prova que não existe caixa 2. Veio de graça um marqueteiro, R$ 9 mil uma produtora de grande porte?”, questionou Emanuel.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet