Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 19 de Janeiro de 2021

1 4
:
4 5
:
5 6

Notícias / Economia

3 Dez 2020 - 07:30

Figurões de MT lideram lista de maiores produtores rurais do Brasil

Sócios dos grupos Bom Futuro, Amaggi e Scheffer ainda tem relações familiares

WELINGTON SABINO

Reprodução:

 (Crédito: Reprodução:)
Uma lista com os 5 maiores grupos de produtores agrícolas do Brasil responsáveis por mais de 1,593 milhão de hectares cultivados por ano,  tem 3 nomes de Mato Grosso bastante conhecidos e que reúnem, inclusive, empresários do mesmo grupo familiar: Bom Futuro, Amaggi e Scheffer. Nesse contexto, o mega-empresário Eraí Maggi Scheffer, conhecido como o “Rei da Soja” no País, é o elo que une os 3 conglomerados rurais produtores de grãos como soja e milho, além de algodão e outras culturas.

Eraí é dono do Grupo Bom Futuro, empresa que lidera o ranking com 530 mil hectares de área plantada. Também é primo do ex-ministro da Agricultura, ex-governador e ex-senador por Mato Grosso, Blairo Maggi (PP), principal nome da multinacional Amaggi, que ocupa a 3ª posição com uma plantação de 258 mil hectares. Ainda, Eraí faz parte da família Scheffer, que empresta o sobrenome ao grupo ocupante do 4º lugar com 224 mil hectares plantados.

O ranking dos “top 5” traz em  2º lugar a SLC Agrícola com 448.568 mil hectares plantados. Trata-se de uma das maiores produtoras mundiais de grãos e fibras, focada na produção de algodão, soja e milho. A empresa, com matriz em Porto Alegre (RS), possui 16 unidades de produção localizadas em 6 estados e está prestes a assumir a primeira posição da lista, desbancando a empresa de Eraí Maggi.

Isso porque, a SLC Agrícola anunciou recentemente que irá incorporar a Terra Santa, empresa que assume a quinta posição do ranking com mais de 133.300 mil hectares de área plantada de soja, algodão e milho. O grupo possui 7 unidades de produção em Mato Grosso, dentre terras próprias e arrendadas que estão nos municípios de Nova Maringá, Tabaporã, Diamantino, Nova Mutum, Santa Rita do Trivelato e Campo Novo do Parecis (duas unidades).

Quando for concluído o processo de controle das operações da Terra Santa Agro, o grupo SLC Agrícola vai liderar o topo dos 5 dos maiores grupos do agronegócio em acumulação de terras em uso. Em seu site, a empresa informa que dos 448.568 hectares plantados no ano-safra 2019/20, são 125.462 hectares de algodão, 235.444 hectares de soja, outros 82.392 hectares de milho e ainda 5.270 hectares de outras culturas. Ressalta ainda que “foi uma das primeiras empresas do setor a ter ações negociadas em Bolsa de Valores no mundo, tornando-se uma referência no seu segmento”. Além do agronegócio, ela atua também no comércio de máquinas agrícolas, através das empresas SLC Agrícola e SLC Máquinas e está presente em diversas localidades do Brasil empregando cerca de 4 mil colaboradores. Seu faturamento anual em 2019 foi superior a R$ 3 bilhões.

Em Mato Grosso, o grupo faz a gestão da Fazenda Pioneira de 20 mil hectares, situada no município de Querência, voltada apenas para a produção agrícola (sem investimento em terras). A administração na fazenda arrendada é feita de forma conjunta com o Grupo Roncador sendo que a SLC Agrícola recebe uma remuneração pela gestão da operação. Sua área plantada na safra 2019/20 foi de 29.874 hectares. A SLC Agrícola também arrenda 16.213 hectares da Fazenda Perdizes, situada em Porto dos Gaúchos (MT), cuja área plantada na safra 2019/20 foi de 26.295 hectares.

De acordo com o Compre Rural, portal especializado em conteúdo rural, os 5 grupos foram elencados utilizando o volume de terras que são destinadas a agricultura, sendo que grande parte deles foca a sua produção em soja, milho e algodão. A publicação destaca que todas as 5 empresas listadas são soberanas na produção de grãos, soja e milho e algodão. Enfatiza que elas contam com maior presença produtiva em Mato Grosso, Estado onde estão as matrizes do Grupo Amaggi, Bom Futuro e do Grupo Scheffer. “Estes dois últimos cuidam inclusive de pecuária, enquanto o Amaggi também opera uma trading global e em energia, neste último item junto ao Bom Futuro”, detalha a publicação.

GRUPO BOM FUTURO

O destaque dos “Top 5” é o Grupo Bom Futuro de Eraí Maggi, que figura como um dos maiores do mundo com mais de 530 mil hectares de área plantada. A soja é principal cultura cultivada nas unidades do Grupo com uma média de 280 mil hectares, totalizando uma produção aproximada de 1,3 milhão de toneladas por safra.

Em seu site, a empresa informa que é destaque mundial em produtividade sustentável, possibilitando a atuação em 7 áreas; agricultura, pecuária, piscicultura, sementes, energia, aeroportuário e imobiliário. Nesta safra, o Bom Futuro plantou quase 240 mil hectares de soja e, na safrinha, 70 mil hectares de algodão e 70 mil de milho. Também colhe um milhão de sacas de sementes, engorda 40 mil bois em semiconfinamento, por meio da integração lavoura-pecuária, e produz dez toneladas de pescado por ano com outros produtores integrados.

Atualmente, a empresa Bom Futuro tem 32 unidades centralizadoras de produção em Mato Grosso, 21 unidade de beneficiamento e armazenamento de grãos, 9 unidade de beneficiamento de algodão e 3 unidade de beneficiamento de sementes.  “O que realmente dá satisfação e orgulho é gerar 4 mil empregos e movimentar a economia do estado e de 20 municípios onde o grupo está presente. Isso é o que importa”, disse Eraí Maggi ao Compre Rural, em entrevista publicada no dia 23 de novembro.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet