Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 22 de Janeiro de 2021

2 3
:
1 9
:
4 9

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Geral

7 Dez 2020 - 08:28

Obra de ferrovia no Araguaia começa em abril

Construção vai custar R$ 4 bilhões. Início será entre Mara Rosa (GO) e Água Boa (Nordeste de MT), em bitola larga

Redaçãi com Diário de Cuiabá

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
Em abril, a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico) começa a sair do papel e, literalmente, entrará nos trilhos de bitola larga, em Mara Rosa (GO) rumo à cidade mato-grossense de Água Boa, distante 383 quilômetros.
 
Palavra do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que também acredita no apito do trem no Vale do Araguaia, em Mato Grosso, para escoar a safra 2025/26.
 
Na semana passada, o ministro recebeu o prefeito eleito de Água Boa (730 km a Nordeste de Cuiabá), Mariano Kolankiewicz (MDB), em seu gabinete, para tratar desse assunto.
 
Ele revelou que a obra começará em Mara Rosa, onde há estrutura de galpões, materiais para a construção e mão de obra qualificada, por se tratar de uma cidade ao lado dos trilhos da Ferrovia Norte-Sul, com a qual a Fico se conectará.
 
Tarcísio Freitas destacou que não há nenhum impedimento para a obra. Segundo ele, não há barreira ambiental, o projeto básico foi elaborado em 2010 e o projeto executivo se encontra em fase adiantada, mas que a construção pode ser levada adiante enquanto o projeto executivo é formatado.
 
Além disso, o Tribunal de Contas da União deu o sinal verde para largada da Fico.
 
No percurso, serão construídas 18 pontes, sendo duas grandes: sobre o rio Araguaia e o rio das Mortes; três viadutos e recuos – onde uma composição aguarda a passagem de outra, em sentido contrário.
 
A obra é orçada em R$ 4 bilhões. A construção da Fico é resultado de uma costura administrativa do Governo com a mineradora Vale.
 
No acordo, a Vale ganhou a prorrogação, por 30 anos, de duas concessões ferroviárias suas, que terminariam em 2027: da Estrada de Ferro Vitória-Minas (de Itabira/MG ao porto no Espírito Santo) e da Estrada de Ferro de Carajás, no Pará e Maranhão, por onde se escoa minério de ferro de Carajás para o porto em São Luís, no Maranhão – ambas transportam passageiros.
 
A dilatação das duas concessões por 30 anos será paga com a obra da Fico entre Mara Rosa e Água.
 
Concluída a construção, o Governo dará o trecho em concessão com outorga ainda a ser definida.
 
Água Boa é importante polo agrícola e sua produção está em expansão.
 
Kolankiewicz acredita que, além dos grãos e plumas, haverá embarques de carnes, aves congeladas, farelo e óleo degomado de soja, que serão produzidos por indústrias interessadas em se instalarem em sua cidade e região.
 
Enquanto espera pelo trem, Água Boa escoa commodities agrícolas pela rodovia BR-158 até Barra do Garças, e de lá, pela BR-070, MT-130 e BR-163 ao terminal ferroviário da Rumo, distante 650 quilômetros, em Rondonópolis, e também para o porto de Itaqui, no Maranhão, mas com um trecho de 140 quilômetro sem pavimentação na BR-158, na Terra Indígena Marãiwatsédé, dos xavantes.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet