Imprimir

Imprimir Notícia

1 Jun 2021 - 09:01

15 policiais e outras 10 pessoas viram réus por envolvimento em esquema para acobertar crimes em MT

A juíza Ana Cristina Mendes, da 7º Vara Criminal de Cuiabá, acatou a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), nesta sexta-feira (31), e tornou réus 15 policiais e outras 10 pessoas por envolvimento em esquema criada para acobertar crimes no estado.

Foram denunciadas 25 pessoas pelo MP, por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). O grupo denunciado inclui 12 investigadores da Polícia Civil, sendo um aposentado e dois demitidos, 3 policiais militares - um da ativa, um demitido e outro da reserva - e mais 10 pessoas.

A denúncia foi oferecida após a “Operação Renegados”, deflagrada em 4 de maio. Na ocasião, foram expedidos 44 mandados, sendo que destes 22 foram de prisão preventiva. Até agora, cinco pessoas denunciadas ainda estão foragidas, segundo o MP.

Entre os crimes imputados aos denunciados estão organização criminosa, concussão, roubo, tráfico, porte ilegal de arma de fogo e 'embaraço' à investigação.

Operação

A 'Operação Renegados' é resultado de um Procedimento de Investigação Criminal (PIC) instaurado no Gaeco e inquéritos instaurados pela Corregedoria Geral da Policial Civil.

O objetivo foi desarticular a organização criminosa composta por policiais civis e militares, dentre outros membros, além de informantes utilizados pelo grupo criminoso.

Segundo o Gaeco, a organização era comandada por policial da ativa, o qual se utilizava de técnicas de investigação com o uso de equipamentos da Polícia Judiciária Civil, além da facilidade de ser chefe de operação de uma delegacia da capital, para facilitar e encobrir as ações criminosas do grupo.

Dois ex-policiais do estado alvos da operação já tinham sido presos por tráfico de drogas e um por sequestro.

Um dos ex-policias envolvidos já foi preso no ano passado quando foi flagrado com uma grande quantidade de drogas, em Cuiabá. Outro deles já foi julgado e condenado por tráfico. Um terceiro ex-policial foi preso depois de receber R$100 mil do sequestro de um homem que ele havia apreendido quando ainda estava na ativa.

Imprimir