Imprimir

Imprimir Notícia

3 Jun 2021 - 10:30

Emanuel confirma conversa com Jayme e Júlio Campos, mas descarta "por ora" sair do MDB

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), revelou que tem um carinho enorme pelo Democratas, partido do atual governador do estado e seu desafeto, Mauro Mendes, e confirmou que conversou com o senador Jayme Campos sobre sua história no partido quando a nomenclatura ainda era PFL. Aos jornalistas, Emanuel disse que por enquanto ele não deseja sair do partido que está e que nem houve convite oficial. "Eu vi a mídia, a divulgação. Houve uma conversa, houve uma reunião e teve uma sondagem, uma conversa sobre isso. Até porque o DEM, o PFL é minha casa, né?. Eu tive lá dois mandados de vereador da capital, dois de deputado estadual. A primeira candidatura minha a prefeito foi la no DEM nos anos 2000, no PFL, e nós temos uma relação histórica de amizade com a família Campos. Não houve esse convite oficial. Foi a gente conversando e a gente levou. Mas não houve nada oficial. Ouvi da imprensa e gostei do que vi. Porque está se mostrando [que] vários partidos [estão] querendo a gente, mostrando interesse, mas não houve nada formalizado, nenhum convite", disse o prefeito. 

Questionado se está com vontade de deixar o partido, Emanuel afirmou que não descarta a possibilidade. "Não, eu não penso em deixar o MDB, mas também não descarto um dia voltar para meu ninho. Então não sei, mas por ora não penso em deixar o MDB", completou. 

Sem deixar de cutucar o oponente, governador Mauro Mendes (DEM), o prefeito Emanuel ainda disse que os irmãos Jayme e Júlio Campos são mais entusiastas de seu governo por Cuiabá, que do governo do estado. "Até porque o DEM, Jayme e Júlio são muito entusiastas da minha gestão. São mais entusiastas da estão Emanuel do que a gestão do estado, até porque a gestão do estado não existe, né. Aqui em Cuiabá as coisas acontecem. Então eles estão entusiasmadíssimos, sempre dando ideias, apresentando parcerias e emendas com Emanuelzinho, querendo ajudar querendo participar".

Outra coisa que Emanuel não negou foi o fato de ter oferecido sua gestão para que o Democratas participasse de dentro, com a presença de algum membro, indicados por eles. "Sugeri a eles: se são tão entusiastas, são tão meu amigos, porque vocês não vem pra dentro também? Me ajudam na gestão da capital indicando os bons quadros que o DEM. Principalmente Jayme e Júlio, que foram dois governadores de sucesso, dois grandes líderes. Eles ficaram de avaliar, agradeceram tudo, mas existe um programa politico, oposição política, né. Mas eu senti que eles gostaram da ideia", comentou.

Imprimir