Imprimir

Imprimir Notícia

4 Jun 2021 - 08:57

Diferimento no ICMS do milho no RS pressiona preços

A medida do estado do Rio Grande do Sul de adiar o ICMS do milho também está pressionando, em partes, as cotações do mercado interno, de acordo com informações que foram divulgadas pela TF Agroeconômica. “Hoje, foram vistos negócios a patamares menores do que nos últimos dias:  Em Cruz Alta, 500 toneladas de milho foram vendidas a  R$ 93,50, contra um preço anterior de R$ 95,00; em Passo Fundo, já se veem ofertas de venda a R$ 100,00, contra R$ 101,00 da semana passada; e em Ijuí, novamente rodaram negócios a R$ 93,00 a saca”, comenta. Em Santa Catarina foram vistas negociações no Oeste a R$ 95,00 no CIF tributado, enquanto as demais regiões compram entre R$ 97,00 a R$ 99,00. “A maior parte dos lotes de venda que se encontram dentro de Santa Catarina ainda são mantidos à disposição por vendedores,  em  sua  maioria  produtores  independentes,  por  patamares  próximos  aos  R$  100,00.  Entre  estes, persiste  a  ideia  de  que  a  espera  pode  valer  a  pena,  já que não se viram milhos tributados abaixo de R$ 95,00 mais impostos, o que, em um preço final, justifica o que se pede em lotes diferidos”, completa. 

Em pouquíssimos lotes à disposição, produtores do Paraná não estão dispostos a negociar. “Em  pouquíssimos  lotes  que  presenciamos  abertos  à venda  no  Paraná nesta  quarta-feira,  não  há  ‘conversa’ que  faça  o  produtor  arredar  o  pé.  Após  as  sucessivas quedas no mercado físico, mas apoiado – por outro lado – pelas sucessivas altas na B3, o preço mágico por aqui é de R$ 95,00 a saca. Na  indicação de compradores, o máximo que tivemos notícia foi de R$ 93,00, e assim, a negociação  seguiu  travada.  Não  ouvimos  reportes  de negócios”, conclui. 

Imprimir