Imprimir

Imprimir Notícia

10 Jun 2021 - 09:29

Aécio diz que candidatura de Ulysses não chegou ao diretório e PSL deve apoiar Mauro em 22

O clima dentro do PSL em Mato Grosso não parece ser o dos mais amigáveis. Após o deputado estadual Ulysses Moraes (PSL) afirmar que segue independente na Assembleia Legislativa e que pode, inclusive, sair candidato a governador em 2022, o presidente do partido, Aécio Rodrigues, rebateu que o diretório estadual não tem informações sobre esta possível candidatura, e que o PSL provavelmente apoiará a reeleição de Mauro, inclusive com a possibilidade de indicar o ex-senador Cidinho Santos como candidato a vice.A aproximação de Aécio com Mauro aconteceu após a vinda de Cidinho para o partido. Como consequência, Aécio foi nomeado chefe do escritório de Mato Grosso em Brasília. Ulysses, que faz diversas críticas ao Governo do Estado, afirmou que não sabia destas negociações e que continuará independente em seu mandato como parlamentar.

“Esse novo grupo que entrou no PSL desde o ano passado é consenso. A gente tentou todo tempo, como a gente tem a maior bancada da Assembleia, é complicado, sempre tem uma divergência entre opiniões. Mas hoje está muito tranquilo toda essa composição que foi sempre bem alertada a todos que estão. A gente aguarda, esperamos que todos os deputados fiquem no PSL”, argumentou Aécio nesta quarta-feira (9).

Segundo o presidente, é muito provável que o partido esteja junto a Mauro em 2022. Somente se isso não acontecer é que o PSL irá articular um grupo para fazer o próximo governador, e ainda não há conversas para que este nome seja o de Ulysses. “Às vezes pode ser um desejo dele. Não teve essa conversa ainda dentro do partido. Mas hoje está bem escancarado aí. A gente tem um grande nome que pode estar compondo qualquer majoritária, senador, vice-governador até governador que é o Cidinho Santos. (...) A gente apenas tem hoje uma peça fundamental dentro do partido que está apta a disputar qualquer cargo dentro do estado de MT”, finalizou Aécio.

Imprimir