Imprimir

Imprimir Notícia

7 Set 2021 - 09:26

“Estão querendo proibir os militares de dizer que gostam do Brasil?”, questiona coronel Fernanda sobre manifestação

Já em Brasília para participar das manifestações desta terça-feira (7), a coronel Fernanda, policial militar e presidente da Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar de Mato Grosso (Assof), afirmou que não vê problemas na participação de policiais militares da ativa no evento. Segundo ela, os policiais sempre foram a eventos de sete de setembro, e agora querem proibi-los de “dizer que gostam do Brasil”.

“Os policiais militares sempre participaram do Sete de Setembro, sempre deram esse presente. Amanhã vai ser um evento de Sete de Setembro, que os policiais sempre foram com seus familiares. Não tem porque proibir. Nenhum policial vai fardado para fazer o ato, não somos assim, nunca fomos assim, não seremos assim. Eu sou a favor, eu estou aqui em Brasília, é tudo de forma organizada, pacífica, é o Sete de Setembro. Precisamos lembrar que é o Sete de Setembro”, afirmou ela, que é militante bolsonarista e foi candidata ao Senado nas eleições suplementares de 2020, mas saiu derrotada.
 
Recentemente, o governador Mauro Mendes (DEM) afirmou, em entrevista à CNN Brasil, que os militares não podiam participar das manifestações mesmo que estivessem de folga. “A legislação é muito clara no nosso estado de que os policiais são vedados de participar de manifestações de caráter político, então acredito que os militares têm consciência disso, não é uma legislação que eu fiz, que tenha sido feita agora, eu acho que nós precisamos, neste país, respeitar as leis, a nossa Constituição, todo mundo trabalhar mais e parar de arrumar confusão porque isso não é bom para o Brasil e para os brasileiros”, afirmou o governador.
 
A Corregedoria da Polícia Militar também se manifestou por meio de nota, e afirmou que os militares só podem participar de tais eventos se estiverem trabalhando em ações de preservação da ordem pública. “A instituição Militar Estadual é baseada na hierarquia e disciplina, seguindo à risca os preceitos legais. Diante de qualquer infringência de normas caberá a devida apuração”, complete a nota.
 
Coronel Fernanda afirmou  que o ato de Sete de Setembro será em prol da liberdade, respeito e declarando sua cidadania, o que “sempre aconteceu” nesta data. Ela também disse que não acredita que haverá punições ao policiais que participarem.
 
“Não acho que vai ter, porque não tem justificativa para ter punição. Se tiver algo neste sentido a Associação vai estar lá em defesa dos associados como sempre esteve, e vamos fazer a defesa dos militares como sempre fizemos. Sete de setembro é uma data que o cidadão brasileiro tem direito de ir lá comemorar, como sempre comemoramos. Não sei porque que estão fazendo esse estardalho, como se o policial militar fosse bandido, nós somos cidadãos igual todo mundo, nós não somos bandidos. Pelo contrário, nós cuidamos da sociedade”,

Imprimir