Imprimir

Imprimir Notícia

23 Set 2021 - 09:56

Futuros do açúcar fecham valorizados com alívio nas preocupações sobre a chinesa Evergrande

Os contratos futuros do açúcar fecharam a quarta-feira (22) em alta em todos os mercados internacionais, refletindo a queda do dólar e a recuperação dos mercados de ações em todo o mundo, com o alívio de preocupações relacionadas à gigante imobiliária chinesa Evergrande. Informou a Reuters.

Em Nova York, na ICE, o açúcar bruto foi negociado, no vencimento outubro/21, a 19,33 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 36 pontos no comparativo com os preços do dia anterior, ou 1,9%. Já a tela março/22 subiu 32 pontos, contratada em 20,07 cts/lb. Os demais lotes fecharam valorizados entre 11 e 28 pontos.

Ainda segundo operadores ouvidos pela Reuters, o açúcar provavelmente continuará a se consolidar no curto prazo, mas com um viés baixista na forma de fraca demanda próxima e melhores perspectivas para a próxima safra de cana-de-açúcar na Índia e na Tailândia. Porém a produção brasileira continua sustentando o mercado.

"A União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) deve divulgar os números da produção da região Centro-Sul nesta semana, com as estimativas iniciais do mercado indicando uma queda de 15% na moagem de cana na primeira quinzena de setembro", destacou a Agência Internacional de Notícias.

Açúcar branco

Em Londres o açúcar branco também fechou valorizado em todos os lotes da ICE Europe. No vencimento dezembro/21 a commodity foi negociada em US$ 508,20 a tonelada, valorização de 7 dólares no comparativo com a terça-feira. Já a tela março/22 fechou em alta de 7,20 dólares. Os demais contratos subiram entre 4,60 e 6,40 dólares.

Açúcar cristal

No mercado doméstico a quarta-feira também foi de alta nas cotações do açúcar cristal medidas pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. Ontem, a saca de 50 quilos foi negociada pelas usinas em R$ 143,81, contra R$ 143,54 da véspera, variação positiva de 0,19% no comparativo.

Etanol hidratado

A quarta-feira foi marcada por mais uma desvalorização nas cotações do etanol hidratado medidas pelo Indicador Diário Paulínia, que caiu 0,13% ontem com o biocombustível negociado em R$ 3.346,00 o m³, contra R$ 3.350,50 o m³ da véspera.

Imprimir