Imprimir

Imprimir Notícia

25 Out 2021 - 10:05

Valtenir compra maminha de R$ 180 e pede reembolso da Câmara Federal

Valtenir Pereira (MDB-MT), que é suplente do deputado federal Carlos Bezerra (MDB), entrou na lista de "gastos extravagantes" do Congresso Nacional ao pedir o reembolso de uma maminha figueira de R$ 180.

A nota fiscal do restaurante, que calculou a consumação total em R$ 212,96, foi entregue para reembolso no dia 11 de agosto. A informação foi inicialmente veiculada em levantamento do portal Metrópoles, com base no Portal da Transparência da Câmara dos Deputados.

Segundo a reportagem, apesar do valor integral do consumo, o Congresso não reembolsou a taxa de serviço, de forma que apenas os R$ 180 da carne e o consumo de duas latas de Coca-Cola foram devolvidos ao parlamentar.

Em razão de resolução interna da Casa, os gastos com alimentação podem ser bancados pela cota parlamentar, de R$ 39,4 mil para cada deputado mato-grosssense, sem limites estipulados por refeição, ou seja, o valor integral pode ser gasto de uma única vez.

De acordo com levantamento, o deputado Valtenir Pereira também foi o parlamentar mato-grossense que mais usou a cota parlamentar para gastos com alimentação. Apenas em 2021 já foram R$ 1.295,61. Desse valor, o maior gasto foi no mês de agosto, quando ele usou R$ 656,90 para alimentação (veja o restante abaixo).

Dos seis pedidos de reembolso de alimentação feitos pelo deputado em agosto, três foram de consumo no restaurante "Dudu Bar", com gastos de R$ 156,00, R$ 85,67 e 74,70. Tem pratos executivos, rodízio de galeto e até "tiras de coco", compradas e reembolsadas por R$ 48,97.

Apesar de não ser considerado ilegal, o ressarcimento dos gastos com alimentação, a situação chama a atenção por contrastar com a atual realidade do país, conforme pontou o economista Gil Castello Branco, do Contas Abertas, ao Metrópoles.

“Em qualquer época, é uma situação afrontosa, mas na pandemia é um acinte, um escárnio”, comentou o economista.

Segundo o portal da Câmara, em maio deste ano Valtenir pediu reembolso de R$ 60,90 de alimentação. Já em junho o valor foi de R$ 372,48, enquanto em julho foi de R$ 205,33. No mês de agosto, o valor total foi de R$ 656,90.

Depois de Valtenir, Dr. Leonardo (Solidariedade) foi o que mais gastou com alimentação. Foram R$ 567,08 em 2021, seguido da Professora Rosa Neide (PT), que gastou R$ 382,37, e de Juarez Costa (MBD), que pediu reembolso de R$ 158,90.

Os demais deputados federais de Mato Grosso, sendo eles Emanuelzinho (PTB), Nelson Barbudo (PSL), Neri Geller (Progressistas), Carlos Bezerra (MDB) e José Medeiros (Podemos) não pediram reembolso.

Imprimir