Imprimir

Imprimir Notícia

12 Abr 2014 - 09:25

Plano emergencial prevê contratar 40 médicos para policlínicas de Cuiabá

 Como medida emergencial, a Prefeitura de Cuiabá deverá contratar 40 médicos para trabalhar nas policlínicas da capital e nas Unidades de Pronto-Atendimento dos casos de urgência e emergência. O secretário de Saúde, Werley Peres, declarou que a alternativa visa tentar sanar as dificuldades enfrentadas pela população, que reclama da falta de atendimento nas unidades.
“A contratação é para suprir algumas necessidades de escalas que estamos tendo, principalmente no meio da semana nas policlínicas”, disse o secretário em entrevista à rádio Centro América FM. Peres ressalta que a falta de médicos nas policlínicas se deu no início deste ano, quando os profissionais pediram demissão. Porém, o prazo de contratação não foi estipulado. Os salários variam entre R$ 5 mil a R$ 8 mil.
Segundo ele, grande parte dos contratados era residente e outros aderiram a programas do governo federal. “Muitos médicos acabaram saindo no início do ano e não tivemos, até então, a mesma proporção de contratação”, frisa. Em janeiro deste ano 166 médicos integravam o quadro de saúde, conforme Peres, e atualmente a capital conta com 126 profissionais nas policlínicas.
Ele admite as dificuldades nas unidades de atendimento e conta que nas unidades de pronto-atendimento, por exemplo, as quais deveriam ter seis médicos para atender os casos consideramos menos graves, possui quatro “e no meio da semana chega a ter apenas três profissionais”. Além de regularizar o quadro de profissionais de acordo com a real demanda no serviços de saúde, o Executivo deverá lançar concurso público para efetivar os médicos atuando atualmente sob contratos.

Imprimir